Ataque ao DCO
DCO já conta com o apoio de mais de 200 instituições, partidos, organizações, militantes e políticos da esquerda nacional e internacional, unidos pela imprensa operária
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
stedile(1)
Stédile, da coordenação nacional do MST, presta seu apoio ao Diário Causa Operária. | Foto: Reprodução

No dia 18 de julho, este Diário Causa Operária, jornal diário do PCO na Internet, sofreu um ataque histórico. Hackers invadiram o sítio e apagaram mais de 4.000 artigos, sem contar no dano feito ao código fonte da plataforma que, na época, estava passando por um processo de manutenção. Por se tratar de um jornal da esquerda e, acima de tudo, de um dos jornais mais importantes de toda a esquerda, o ataque feito contra o DCO não representa, somente, uma agressão feita contra a imprensa do Partido, como também uma censura direta contra a imprensa operária, tanto atacada pela grande imprensa burguesa.

Com isso, o Partido da Causa Operária iniciou uma ampla campanha de solidariedade em nome do DCO. O ocorrido, tido como um “empastelamento digital”, simplesmente não pode passar em branco, uma vez que abre precedentes para ações muito piores. Deve-se deixar claro que a ação organizada da extrema-direita não amedronta a classe operária e que esta não irá recuar frente ao fascismo. Nesse sentido, diversas organizações, partidos, militantes e movimentos progressistas gravaram vídeos, denunciando o ataque e se solidarizando com o diário. Até mesmo ex-presidentes da república Dilma e Lula se manifestaram contra o ocorrido, sem contar com a própria presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann. Confira todos os vídeos já publicados!

https://youtu.be/TvxZnq62m6o

A cada dia que se passa, novos vídeos são postados em nosso canal, a COTV, com o apoio de demais elementos da esquerda tanto brasileira quanto internacional. Esta semana, o Diário Causa Operária recebeu o apoio de João Pedro Stédile, membro da coordenação nacional do MST, da Deputada Márcia Lia (PT-SP), de Marcos Rogério, da Associação Brasileira de Juristas pela Democracia, e de Juan Pozo, diplomata cubano.

O apoio de Stédile representa um importante passo para a unificação da luta da classe operária e dos camponeses dentro do Brasil. Afinal de contas, o MST é o maior movimento de trabalhadores do campo brasileiro, contando com um extenso histórico de luta contra a ação assassina que a burguesia impõe sobre o campesinato nacional.

Ademais, o apoio de Juan Pozo vem na mesma medida no sentido de que representa ainda mais um apoio que a imprensa independente revolucionária recebe do exterior. Afinal de contas, Cuba é um dos poucos países nos quais a classe operária possui forte participação dentro do Estado, significando expressiva oposição à dominação imperialista

Finalmente, a campanha que tem sido feita por parte do Partido da Causa Operária representa um gigantesco passo para a unificação da luta da classe operária contra seu principal inimigo, a burguesia, e sua tropa de choque mais reacionária, o fascismo.

É somente por fora das instituições burguesas que existe a real possibilidade dos trabalhadores vociferarem suas denúncias e suas reivindicações frente ao aparato repressivo do Estado. É imprescindível que a esquerda nacional e internacional se una para pôr um fim ao processo golpista que vem ocorrendo há anos no Brasil. No final, a burguesia continuará massacrando a classe operária, a menos que a imprensa independente e de esquerda seja defendida de forma incondicional por todos os setores progressistas da política brasileira.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas