Ato na ALESP
Na última terça-feira ocorreu uma reunião de entidades do magistério, liderada pela APEOESP e diante da famigerada “reforma” da previdência de Doria, marcaram um ato nesta terça
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
WhatsApp Image 2019-11-18 at 12.02.35
Arte: divulgação |

Doria está mandando um projeto de lei para a Assembleia Legislativa de São Paulo (ALESP), o aumento da alíquota de desconto sobre os salários de 11% para 14% para a Previdência Social.

Na semana passada, no dia 12 de novembro entraria em votação, porém, diante da mobilização dos professores na ALESP, que foi em certa medida vitoriosa, o governo recuou. Nesta terça-feira, dia 19 de novembro, o projeto vai a votação, diante disso, o sindicato marcou um ato para o mesmo dia em frente a ALESP.

Desde sua posse, João Doria, governador de São Paulo, vem desferindo um ataque avassalador contra a educação: fechou escolas, mudou a atribuição, negou merenda, deu ração para os alunos, aumentou a Previdência do município de São Paulo, descumpriu a Lei do Piso, entre outras barbaridades.

Os professores paulistas, já com mais de cinco anos sem reajuste salarial, terão um rebaixamento dos salários, pois o desconto da Previdência será 3% a mais sobre o bruto, se a”reforma” passar.

Além do calendário de atribuição, do aumento da Previdência, que fere diversos direitos dos professores, ainda existe a ameaça constante da “Escola com Fascismo”.

Os professores devem tomar as ruas para pedir a saída imediata do fascista João Doria, cujas últimas medidas tem como objetivo esmagar os docentes.

Nesse sentido, a corrente Educadores em Luta, do Partido da Causa Operária, reivindica:

  • Reajuste salarial já;
  • Revogação da Lei que aumenta de 11% para 14% à Previdência;
  • Nenhum corte nas verbas para a Educação, que os capitalistas paguem pela crise. Mais verbas para a Educação. Verbas públicas somente para o ensino público;
  • Derrotar integralmente a “reforma” da Previdência. Aposentadoria para as professoras aos 25 anos de trabalho e para os professores aos 30 anos;
  • Fim do roubo dos salários: reposição integral das perdas salariais; Piso Salarial Nacional de R$ 6 mil para todos os professores (Meta 17 do PNE). Abaixo a Escola com Fascismo e a Militarização das Escolas;
  • Ensino Público, Laico e de qualidade para todos, em todos os níveis;
  • Anulação dos processos da criminosa operação lava jato;
  • Fora Bolsonaro e todos os golpistas. Eleições Gerais com Lula candidato;

Diante do roubo da previdência os professores precisam ocupar e começar por uma greve por tempo indeterminado para barrar todos os retrocessos e pedir o Fora Doria!

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas