SP: Governo não quer que professores temporários tirem mais que 15 dias de licença médica

Professores1

O projeto “escola sem partido” pode ser a mais famosa ameaça aos professores, mas não é a única.  Nesse ano o projeto foi colocado em pauta diversas vezes, depois de bastante pressão dos professores e de suas organizações, por hora resolveram recuar, porém, foi apenas uma batalha, existem muitas outras a serem travadas.

Com o fim do ano, a Secretaria Estadual de Educação SEE, aprovou as novas regras para a atribuição do próximo ano, uma das novas regras é o fim da “licença médica”, pois que tiver aulas em substituição não poderá tirar mais de 15 dias de licença, se for superior, quando o docente voltar, o mesmo perde as aulas.

Outra mudança é o aumento da contribuição previdenciária de 11% para 14%, um abuso, pois também os golpistas querem mudar a “Previdência Social”, aumentando a contribuição para 49 anos de tempo de serviço, com isso a previdência também será modificada.