Projeto fala em aumento
Ontem foi anunciado pelo governador fascista João Doria, um novo projeto para dar aumento somente para uma parcela que aderir a um outro plano de carreira.
SP - POSSE/JOÃO DORIA - POLÍTICA - O prefeito eleito de São Paulo (SP) João Doria (PSDB) tomou posse neste domingo (1) para um mandato de quatro anos a frente da prefeitura da Capital. A primeira cerimônia aconteceu na Câmara Municipal de São Paulo. Na foto João Doria. 01/01/2017 - Foto: JALES VALQUER/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO
Governador tucano João Doria. Foto: reprodução. |

Ontem o governo golpista de João Doria anunciou um projeto de lei que promete aos professores um aumento de 34% no salário inicial se aderirem a uma nova carreira no magistério, mas não disseram o que vão ter que abrir “mão” para ganhar esse “aumento”.

Doria desde quando assumiu a prefeitura da capital, e posteriormente o governo do estado de São Paulo, tem desferido uma avalanche de maldades ao professorado paulista: fechou escolas, mudou a atribuição, negou merenda, deu ração para os alunos, aumentou a Previdência do município de São Paulo, descumpriu a Lei do Piso, é defensor da “escola sem partidos” mandou pra Alesp o aumento da previdência, etc.

Agora essa semana depois de declarar reajuste zero pra categoria, vem com esse golpe da mudança de carreira para ganhar reajuste salarial, no entanto não explicou as perdas monumentais que os professores terão nessa nova carreira.

Provavelmente uma das perdas será o fim da estabilidade, pois esse é um dos maiores objetivos dos golpistas em relação ao serviço público. O projeto foi mandado para a Alesp, porém diz que o professor receberá por subsídio no novo plano de carreira.

Doria criou esse projeto para enganar a opinião pública para dizer que está dando aumento aos professores estaduais. O sindicato e suas “forças” devem denunciar mais esse golpe.

A história tem mostrado que somente a mobilização popular coloca medo nos fascistas. Há vários exemplos recentes de vitórias por causa da mobilização.

A mais recente foi a libertação de Lula da carceragem, que somente ocorreu com a mobilização de vários atos populares. Outro exemplo é a reorganização que foi barrada em 2015 com a greve de 92 dias e a ocupação dos estudantes de 200 escolas.

Diante da história podemos concluir que somente a mobilização da categoria vai barrar e derrubar todos os governos fraudulentos e inimigos da população e do emprego público.

Os professores devem tomar as ruas para pedir a saída imediata do fascista João Doria, pois vendo as últimas medidas feitas pelo golpista, tem como objetivo esmagar os docentes e todo o ensino público do estado, dando a rede de presente para que os capitalistas lucrem uma imensa fortuna às custas dos trabalhadores.

Nesse sentido, a corrente Educadores em Luta, do Partido da Causa Operária, reivindica:

  • Reajuste salarial já!
  • Nenhum corte nas verbas para a Educação, que os capitalistas paguem pela crise. Mais verbas para a Educação. Verbas públicas somente para o ensino público.
  • Derrotar integralmente a “reforma” da Previdência. Aposentadoria para as professoras aos 25 anos de trabalho e para os professores aos 30 anos.
  • Fim do roubo dos salários: reposição integral das perdas salariais; Piso Salarial Nacional de R$ 6 mil para todos os professores (Meta 17 do PNE). Abaixo a Escola com Fascismo e a Militarização das Escolas.
  • Ensino Público, Laico e de qualidade para todos, em todos os níveis. Anulação dos processos da criminosa operação lava jato.
  • Fora Bolsonaro e todos os golpistas. Eleições Gerais, com Lula candidato.
Relacionadas