Política de Morte: Governo do Estado deixa média movel de mortes bater recorde pelo 15º dia seguido!
Estado de São Paulo chega à 15 dias seguidos de recorde na média móvel de mortes, prova que a política “científica” de João Dória de nada adianta a não ser para sua própria reeleição em 2022.

Por: Redação do Diário Causa Operária

Média móvel diária de mortes por COVID-19 chega à 493 no Estado de São Paulo, e bate recorde durante 15 dias seguidos. São mais de 67,000 (sessenta e sete mil) vitimas no estado até o momento. É uma subida vertiginosa de 75% em comparação à 14 dias atrás, indicando uma fortíssima tendência de alta. No momento 28,292 (vinte e oito mil duzentos e noventa e duas) pessoas se encontram internadas pela doença.

A média móvel de mortes provocadas pela Covid-19 no estado de São Paulo chegou neste sábado (20) à marca de 493 óbitos por dia, batendo recorde de maior valor desde o início da epidemia pelo 15º dia seguido. O estado superou a marca de 67 mil vítimas do coronavírus. O índice é 75% maior do que o registrado há 14 dias, quando 281 mortes por dia eram confirmadas, em média. Para especialistas, quando o aumento deste indicador é maior do que 15% em duas semanas, já há tendência de alta. Durante o primeiro pico da doença, em 2020, os maiores valores de média móvel de mortes não passavam de 280 por dia.

Nas últimas vinte quatro horas, apesar do lockdown decretado pelo Governador “científico” João Dória, 18.673 (dezoito mil seiscentos e setenta e três) novos casos foram confirmados. São, até agora, mais de dois milhões de casos de COVID-19 confirmados desde o inicio pandemia. Tentando (em vão) frear o avanço da pandemia no estado, João Dória e o prefeito Bruno Covas decidiram por aumentar o nível de restrição social no estado e na capital. O prefeito, por exemplo, antecipou os feriados municipais e acatou o toque de recolher do Governador. Das 20h às 5h ninguém pode sair de casa, somente para atividades essenciais (médico, farmácia, etc).

Não obstante, Em coletiva de imprensa na quarta, o governador do PSDB anunciou um pacote de medidas econômicas para comerciantes, mas não foram criadas novas restrições de circulação no estado além das que já estão em vigor na fase emergencial. É fato que tanto a fase vermelha quanto a fase emergencial tiveram poucos efeitos na redução da circulação de pessoas no estado.

Como já denunciamos várias vezes no Diário Causa Operária, essa manobra eleitoreira e falsa de “lockdown” ignora completamente as necessidades da população pobre do estado. Não adianta fechar o comércio sem dar a certeza de um prato de comida na mesa do trabalhador no fim do dia. Sem auxílio o lockdown é política de morte. Morte do povo pobre. Absolutamente ninguém deixará de buscar o pão de cada dia para não pegar ou disseminar (mesmo que sem querer) a doença. Entre morrer de COVID e de fome, a escolha lógica é a primeira.

Send this to a friend