Ataques fascistas
Escalada fascista: três veículos de comunicação de esquerda atacados em um mês
and
A Nova Democracia: edição de março de 2020 | Foto: Reprodução
and
A Nova Democracia: edição de março de 2020 | Foto: Reprodução

Passado menos de um mês do ataque a este Diário Causa Operária, duas novas agressões à liberdade de imprensa têm lugar no Brasil. Desta vez, foram alvo o jornal de orientação maoísta A Nova Democracia (AND) e o Ponte Jornalismo, especializado em reportagem sobre segurança pública e direitos humanos.

O primeiro caso ocorreu na última terça feira (18), através de uma ação ousada, onde um indivíduo se fazendo passar por técnico de uma operadora de telefonia ingressou nas instalações onde se situa a infraestrutura de TI do jornal e cortou dezenas de cabos de rede, afetando o fornecimento de internet e telefonia.

Em editorial, a direção do AND afirmou não haver dúvidas de que o ataque foi um ato deliberado de sabotagem, pois nada foi levado do local, opinião esta, compartilhada pelos técnicos que trabalharam para reverter os danos. Além disso, membros do jornal apuraram que sua sede foi alvo de vigilância meses atrás, provavelmente para levantamento de informações para preparar o ataque.

Ainda mais recente, na última quinta feira (20), outro jornal de esquerda, o Ponte Jornalismo, foi tirado do ar após inúmeros ataques de hackers. Os três casos têm em comum, além do fato de os alvos serem veículos de comunicação de esquerda, alguns aspectos que merecem ser analisados mais de perto. Percebe-se claramente que o objetivo imediato foi causar indisponibilidade, cessando assim a atividade militante dos jornais. Também houve a intenção de causar prejuízo econômico e dano permanente ao acervo dos jornais.

Isso caracteriza a ação de forma clara e inequívoca como uma ação fascista. Isso fica bem evidente se compararmos, por exemplo com os ataques promovidos no passado pelo grupo de ciberativistas Anonymous, que costuma reivindicar a autoria dos ataques que promove bem como apresentar suas razões.

A proximidade temporal dos ataques à imprensa independente, assim como outras ações tipicamente fascistas, a exemplo do ataque ao hospital que realizou o aborto na criança de 10 anos estuprada no Recife, sinalizam uma escalada das atividades da extrema-direita, que busca aprofundar os ataques contra a liberdade de expressão e inviabilizar a luta dos trabalhadores contra o golpe de Estado e suas consequências, como a perda de direitos, cerceamento das liberdades individuais e a pilhagem do patrimônio nacional.

O Diário Causa Operária conclama todos a unirem-se em uma ampla campanha de repúdio a estes ataques covardes, prestamos nossa total solidariedade aos companheiros do A Nova Democracia e do Ponte Jornalismo e reforçamos a importância premente de formar uma frente das organizações de esquerda e operárias, nas ruas, organizando a população, para enfrentar e esmagar o fascismo, e assim derrotar o golpe de Estado.

Relacionadas
Send this to a friend