Sobrecarga de trabalho e demissões no setor de malote do Bradesco

bradesco_malote

O processo de reestruturação que acontece no Banco Bradesco colocou no olho da rua milhares de trabalhadores. Além de sobrecarregar os funcionários nas agências, com a falta de pessoal, aumentou a exploração de trabalhadores nos setores administrativos, com é o caso do setor de malote. Naquela dependência onde havia 30 bancários e 19 terceirizados, todos os bancários foram demitidos e o serviço passou a ser realizado apenas pelos terceirizados, que não dão conta da demanda de milhares de correspondências que chegam todos os dias para expedição.

Há, por parte dos banqueiros, uma ofensiva gigantesca contra a categoria bancária de ataques aos direitos, conquistas e o emprego dos trabalhadores. Fechamento de centenas de agências, demissão em massa são umas das medidas que tem como objetivo aumentar ainda mais os fabulosos lucros desses parasitas, que vivem às custas da exploração dos trabalhadores e de toda a população em geral.

Com as demissões aumentou consideravelmente a sobrecarga de trabalho e em consequência o número de trabalhadores que adoecem todos os dias por motivos laborais.

Os bancários do Bradesco e demais não devem aceitar a ofensiva dos banqueiros contra a categoria através das demissões e a perdas de direitos e conquistas dos trabalhadores que só vem se aprofundando no processo golpista em curso no País. É preciso organizar uma verdadeira mobilização de toda a categoria junto com todos os trabalhadores, colocando nas ruas uma intensa mobilização contra o golpe e todas a suas medidas