Covid-19
Nesta quarta-feira dia 2 de dezembro o Japão aprovou uma lei de vacinação gratuita contra o coronavírus, fechando acordo de 145 milhões de doses com três grandes farmacêuticas.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
japxn_aprueba_gratuidad_de_vacuna.jpg_1718483347 (1)
Japão registrar 53.392 casos de Covid-19 e 2.109 mortes | Foto: Xinhua

Nesta quarta feira dia 2 de dezembro o Japão aprovou uma lei de vacinação gratuita contra o coronavírus, fechando acordo de 145 milhões de doses com três grandes farmacêuticas. O executivo japonês já alocou U$6,38 bilhões para a aquisição das vacinas, havendo planejamento para início da imunização coletiva em meados de 2021.

O projeto de reforma legislativa sobre vacinas que estabeleceu o fornecimento gratuito de doses contra a pandemia de covid-19 foi aprovado pela Dieta Nacional do Japão, que compreende as duas câmaras do poder legislativo japonês. Sendo nesse momento uma obrigação do estado por força de lei o fornecimento dos imunizantes, a mesma legislação não obriga os japoneses a aplicarem a vacina contra o coronavírus, a legislação obriga apenas o fornecimento gratuito pelo estado para garantir o direito à saúde.

Segundo a Universidade Johns Hopkins o Japão até o momento registrou 153.392 casos confirmados de Covid-19, com ocorrência de 2.109 mortes decorrentes da pandemia. Mesmo nesse cenário o legislativo tornou lei o fornecimento gratuito do imunizante para covid-19 e o executivo japonês acordou com as farmacêuticas americanas Pfizer e Moderna, e com a AstraZeneca PLC do Reino Unido um montante de 145 milhões de doses, número superior à população estimada de 126,5 milhões, alocando para isso U$6,38 bilhões.

A vacinação da população de forma gratuita não é um caso isolado do Japão, na segunda-feira passada dia 80 de novembro, a Rússia iniciou a imunização de sua população com o primeiro lote da sua vacina Sputnik V. A vacina russa já havia sido aplicada em mais de 400 mil soldados russos, apresentando uma eficácia de 92% após a segunda dose, sendo essa semana disponibilizada a toda a população civil. A Rússia foi o primeiro país a registrar uma vacina contra a covid-19.

Os exemplos demonstram sem sombra de dúvida ser possível a vacinação gratuita e massiva de grandes populações. Os dois casos citados são da 10º e 11º populações mundiais, com tamanhos de 126,5 e 145,8 milhões de habitantes, populações próximas a do Brasil que demonstram ser tecnicamente possível uma imunização massiva no país, principalmente com a experiência e estrutura do SUS, faltando apenas interesse político para realiza-la. 

O que transparece cada vez mais é que o governo Bolsonaro e a burguesia brasileira, simplesmente não querem vacinar a população do país. Alegam que no Brasil só haverá vacina em março de 2021 e pretende deixar ainda mais pessoas morrerem aos milhares de covid-19.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas