Cinema na pandemia
Com os perigos que a pandemia traz, primeiramente os cinemas irão abrir em São Paulo, pois a maior parte deles tem ligações com bancos e multinacionais
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
sala_cinema_I (1)
No cinema, foto solarizada | Foto por herdeirodocaos33

Os cinemas da cidade de São Paulo que estavam fechados desde meados de março por conta da pandemia, serão os primeiros do setor cultural a reabrirem neste fim de semana. A previsão é de que governador fascista João Doria (PSDB) anunciara nesta sexta, 9, a chegada da capital à fase verde do Plano São Paulo, que orienta o que abre e o que fecha durante a quarentena no estado e uma mudança após mais de três meses da capital na fase amarela.

Irá atualizar publicamente a situação de cada região de acordo com o planejamento traçado, que apesar de protocolos rígidos de segurança, o interesse do capital está acima da vida, pois a pandemia não está controlada e querem abrir os cinemas que, a maior parte deles, tem ligações com bancos e multinacionais.

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas do PSDB, outro fascista, é candidato à reeleição, que aproveitará da pandemia como destaque na estreia de Covas no horário eleitoral também usará o seu tratamento contra um câncer descoberto em outubro do ano passado, sendo que a alteração coincide com o início do horário eleitoral gratuito nas cadeias de rádio e televisão. Este Plano São Paulo foi a estratégia assassina do governo do Estado, para retomada da economia a partir de 1º de junho, atendendo a vontade dos banqueiros e grandes empresários das multinacionais.

Curiosamente, o cinema Petra Belas Artes, localizado na rua da Consolação, confirmou a reabertura do estabelecimento a partir de sábado dia 10, caso a volta dos exibidores seja confirmada. Sem muitas estreias à mão, a programação inclui, ironicamente, o clássico “Apocalypse Now”, de Francis Ford Coppola, de 1979, que ganhou uma nova edição no ano passado, com 30 minutos a mais de duração e som remasterizado. O que seria uma boa programação se o mundo não estivesse passando por uma tragédia, pois como já foi dito, alguns cinemas tem ligação com os mais ricos.

Essa medida será tomada para salvar a alta burguesia, enquanto o trabalhador em geral, incluindo o do setor artístico e cultural, irão sofrer com a crise e a pandemia, sendo obrigados a irem trabalhar, pois correm o risco de morrerem de fome, mas com o perigo de contraírem o coronavírus e acabarem morrendo de qualquer forma forma. Ou seja não tem escapatória, já que o auxílio emergencial não ajuda o trabalhador a se manter ficando em casa, pois é só uma maquiagem do governo para acalmar a população que está prestes a explodir. O resultado é um genocídio do povo enquanto a burguesia segue salva, o que não traz outra solução para o povo se não ir para as ruas, pedir Fora Bolsonaro e eleições diretas com Lula candidato.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas