Perseguição fascista
Sob pressão da direita, MST cancela feira agrária
A feira é um sucesso em São Paulo, onde passa um público de mais de 200 mil pessoas e são comercializados toneladas de produtos
mst-not5303
Perseguição fascista
Sob pressão da direita, MST cancela feira agrária
A feira é um sucesso em São Paulo, onde passa um público de mais de 200 mil pessoas e são comercializados toneladas de produtos
CNTTL – Feira Nacional Agrária do MST em São Paulo
mst-not5303
CNTTL – Feira Nacional Agrária do MST em São Paulo

O Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra (MST) informou o cancelamento da Feira Agrária Nacional, que iria acontecer em São Paulo no mês de outubro.

Montada uma vez por ano, desde 2015, no parque da Água Branca, neste ano, a feira que estava prevista para o mês de maio foi adiada, devido ao veto do governador fascista de São Paulo, João Doria.

Na época, o playboy de São Paulo fez demagogia, alegando que o parque não comportaria o número de pessoas previstas para o evento.

Agora, alegando os mesmos motivos, “BolsoDoria” novamente proibiu o MST de usar o parque para realização da Feira, que acabou sendo cancelada.

É importante destacarmos o sucesso da Feira Agrária Nacional, para a qual assentamentos do MST do país todo trazem seus produtos para exposição e venda. Mais de 200 mil pessoas passam pela feira e toneladas de alimentos são vendidos.

Esse sucesso que é a feira, organizada por trabalhadores rurais sem-terra, numa cidade tida como “coxinha” é o que incomoda a direita.

Como já sabemos o MST está na mira dos bolsonaristas e é preciso denunciar essa perseguição e reagir à altura desses ataques. O cancelamento do evento é um passo para trás, que só vai permitir que a direita persiga ainda mais o MST.