O que aconteceu com os 48%?
A omissão dos recursos destinados ao combate do coronavírus causa a morte 900 indígenas
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
vidas-indigenas
Indígenas sofrem a morte dos seus por descaso do Governo Federal | Site: http://www.povosindigenas.blog.br

No dia 8 de dezembro (terça-feira), a Secretaria Especial da Saúde Indígena (Sesai) informou a morte de 894 indígenas por contraírem o novo coronavírus. Foram 42.192 infectados entre 161 municípios por onde eles viviam. Esses dados foram apurados pela Comissão Nacional da Vida e Memória Indígena e monitorados pela Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB) em parceria com o Instituto Socioambiental (ISA).

Essas numerosas mortes não são à toa. O governo se negou a utilizar quase metade dos recursos destinados ao combate ao coronavírus entre os povos originários. A Fundação Nacional do Índio (Funai), órgão vinculado ao Ministério da Justiça e Segurança Pública, contabilizou pouco mais de R$ 41 milhões à disposição, advindos de recursos próprios mais os extra orçamentários. No entanto, apenas R$ 21,3 milhões, ou seja, quase metade do montante, exatos 52% dos recursos, foram utilizados para disseminar a doença da população indígena, deixando-os à própria sorte. Isso é definitivamente um crime contra a vida de sua própria população. Esse é o governo de Jair Bolsonaro (sem partido).

Este adendo foi um estudo apontado pelo Instituto Socioambiental (ISA) que apontou a disparidade dos recursos utilizados pelo governo diante do montante em que se dispusera a Funai. Em entrevista com a Veja, a assessora política do Instituto, Leila Saraiva, aduziu que o baixo índice da execução orçamentária vem da política indigenista fragilizada, tendo defasagem de corpo técnico dentro do órgão e também da baixa prioridade política, resultando na ausência do cumprimento de deveres constitucionais.

No dia 14 de dezembro (segunda-feira), O Tribunal Penal Internacional (TPI) em Haia na Holanda, emitiu uma denúncia contra Bolsonaro por crime contra a humanidade, acusado de violações contra a população indígena; por perseguir pesquisadores de órgãos de pesquisa e de ter sido “flagrantemente omisso” na resposta aos crimes ambientais na Amazônia. É a primeira vez que o escritório da procuradora chefe do tribunal se dispõe a realizar uma análise preliminar da jurisdição em relação a um presidente da república brasileiro.

Não é por acaso que as mortes de indígenas são altíssimas e que se entra nas terras indígenas de forma devastadora. Isso ocorre de maneira intencional para acabar com os indígenas e os latifundiários tomarem suas terras. Os capitalistas não querem gastos, mas sim usurpar terras e riquezas, e os povos indígenas são uma pedra em seu sapato. Abandoná-los é a maneira mais barata que o governo de extrema direita, representado por Jair Bolsonaro, encontrou para solucionar seus problemas.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas