Sob a batuta de Rogério Ceni, Fortaleza retorna à primeira divisão depois de doze anos

Ceni

Rogério Ceni, um dos mais importantes e prestigiado jogador das duas últimas décadas do futebol brasileiro foi premiado neste final de semana com a subida do time que dirige, o Fortaleza, para a primeira divisão do campeonato brasileiro em 2019. O time da capital cearense derrotou o Atlético-GO pela trigésima quarta rodada da Série B pelo placar de 2 x 1, na casa do adversário e somou 64 pontos na tabela, não mais podendo ser alcançado pelo quinto colocado, o que garante ao tricolor cearense o acesso à divisão principal, faltando ainda quatro rodadas para o término da segundona.

Além de ser o primeiro time a assegurar matematicamente o acesso, o Fortaleza é também o mais forte candidato à conquista do título de campeão da Série B,. O time dirigido por Rogério Ceni é o detentor da campanha mais regular, tendo obtido até o momento 19 vitórias, 7 empates e apenas 8 derrotas na difícil competição, depois de 34 rodadas.

Rogério Ceni chegou ao Fortaleza em novembro de 2017, depois de ter sido demitido pela diretoria do São Paulo, time em que atuou como goleiro titular de 1997 a 2015, tendo conquistado vários títulos nacionais, regionais e também dois títulos mundiais. Além desta impressionante trajetória no clube tricolor da capital paulista, Ceni – enquanto esteve nos gramados – também se notabilizou realizando uma outra proeza, a de ostentar o invejável status de maior goleiro-artilheiro do mundo, com 132 gols, registrados entre cobranças de pênaltis e faltas, muitos deles verdadeiras obra-primas de precisão e categoria.

Quando tomou a decisão de encerrar a carreira em 2015, recebeu uma série de honrarias pelos inestimáveis serviços prestados ao futebol brasileiro e ao clube onde esteve por exatos 25 anos como jogador, onde chegou em 1990, para ser o quarto goleiro. Em novembro de 2016, o goleiro-artilheiro aceitou o convite da diretoria sãopaulina para ser o novo treinador. A estréia foi em janeiro de 2017, em partida válida pelo Flórida Cup, contra o River Plate, onde o São Paulo saiu vitorioso.

As coisas, no entanto, não caminharam bem durante o ano no campeonato paulista e principalmente no Brasileirão 2017, onde o desempenho da equipe esteve muito abaixo da tradição do São Paulo de sempre estar entre os primeiros colocados. Depois de sete meses e vários tropeços na competição, o time tricolor passou a figurar na zona de rebaixamento (o que nunca havia acontecido com o tradicional e vitorioso time paulistano), o que fez com que a diretoria desconhecesse a longa folha de serviços prestados ao clube pelo profissional Rogério Ceni e, numa decisão que surpreendeu o mundo do futebol, demitiu o treinador.

Ceni aceitou o desafio de treinar um time de menor expressão do futebol brasileiro, aceitando o convite do Fortaleza, onde chegou em novembro de 2017. Foi vice-campeão estadual, perdendo o título para o maior rival do estado, o Ceará. Alguns pediriam sua cabeça em função da grande rivalidade existente com o alvinegro cearense, o “Vôzão”. A diretoria, no entanto, bancou a permanência do técnico e o resultado é que o Fortaleza, depois de 12 anos, volata a disputar a primeira divisão do Brasileirão.

Rogério Ceni é um dos responsáveis pela grande campanha que o Fortaleza vem fazendo na Série B, onde além de já ter a assegurado a vaga para a Série A, o time figura como o franco favorito para conquistar o título de campeão da segundona. Esta coluna parabeniza o goleiro-artilheiro e treinador pela grande campanha à frente do Fortaleza e pelo profissionalismo com que sempre encarou a profissão.