Derrotar o fascismo
Mesmo com uma consulta farsa, a toque de caixa, o governo Ratinho Jr foi derrotado em metade das 215 escolas, o que mostra que é preciso mobilizar
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
2020.11.04 Ato contra a militarização das escolas no ParanáAto
Ato contra a militarização das escolas no Paraná, 04/11/2020 | Reprodução: APP- Sindicato

No dia de ontem, professores e funcionários de escola do Paraná, organizados na APP-Sindicato, fizeram um ato contra a militarização das escolas, a imposição de prova para os professores temporários (PSS), e os demais ataques do governo Ratinho Jr (PSD) contra a categoria.

Apesar de pequeno, devido a pandemia e a fraca convocação, o ato expressou o repúdio da categoria contra as medidas ditatoriais do governador bolsonarista do Paraná. Bem como a perspectiva de crescimento do movimento caso enfrente os ataques do governo.

 

Prova para PSS

 

Entre as revindicações presentes no ato, estava a oposição a realização de prova para o PSS (Processo Seletivo Simplificado) – forma pela qual o governo contrata professores e funcionários sem fazer concursos, ou seja, uma forma de terceirizar a categoria, rebaixando os salários, criando uma divisão interna dentro da categoria, que tem trabalhadores na mesma função que ganham salários e benefícios diferentes.

Essa é uma política neoliberal, que vem sendo implementada desde o governo de Jaime Lerner (PDT) e que ganhou força nos governos de Beto Richa (PSDB) e agora Ratinho Jr (PSD). É uma forma de privatizar a Educação por dentro. Este sucateamento é utilizado pela burguesia em larga escala, em outras áreas do setor público também, como na Saúde.

É daí que a categoria, colocando-se contra essa tentativa de privatizar a Educação, exige que o governo realize concursos para contratação de professores e funcionários, dado que as escolas têm trabalhado com efetivo insuficiente há anos e que a exemplo dos cursos técnicos, funcionam majoritariamente com professores temporários, o que é um ataque ao processo de ensino aprendizagem dos estudantes.

 

Militarização

 

No processo farsa de consulta à comunidade escolar, foram aprovadas 117 escolas militares, 54% das 215 listadas pelo governo. Vale lembrar que este processo foi feito a toque de caixa, com o governo Ratinho mobilizando a direita para assediar os pais. Como ocorreu no caso de Pinhais, com a escola Luna Lunar, em que o movimento direita Curitiba fez campanha, a esquerda também, e a comunidade derrotou a militarização das escolas, como relata o companheiro Antônio Carlos Silva, professor e integrante da corrente Educadores em Luta.

Logo, fica claro que se trata de um problema de mobilização dos professores e funcionários, dos estudantes e pais.

No entanto, enquanto o ato ocorria no lado de fora do Palácio das Araucárias, em Curitiba, a reunião da direção da APP-Sindicato com o secretário da Educação de Ratinho Jr, o empresário direitista Renato Feder, discutia a grade horária das escolas militares. Eis aqui um grave equívoco!

Essa política de convivência com a tentativa do governo de implantar a escolas com fascismo levará a categoria à derrota.

O repúdio da categoria contra a tentativa de militarização das escolas mostra que a paralisia da categoria não se trata de indiferença diante dos ataques do governo, mas sim de falta de uma liderança sindical que chame os professores, funcionários, estudantes e pais a lutarem e barrarem os ataques através da mobilização de toda a comunidade escolas e a população em geral.

A APP-Sindicato não é apenas o maior sindicato do Paraná em número de filiados, é um instrumento de liderança de todo o funcionalismo estadual e de atração de todo o movimento operário e popular no estado.

Portanto, é preciso dirigir a toda a categoria, um chamado à mobilização em todas as escolas, sobretudo nas 117 em que o governo definiu impor a militarização.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas