Seguem as convicções
Paulo Skaff é presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
file-20190527215729-jrbolsonaro640x440 (1)
Paulo Skaff. Foto: Fiesp |

Da redação – O figurão direitista, Paulo Skaf (MDB), presidente da golpista Fiesp, se tornou mais um réu das investigações da Operação Lava Jato, denunciado pelo Ministério Público Eleitoral, onde é acusado de receber R$ 5,1 milhões em propinas e caixa dois da empreiteira Odebrecht, durante a campanha de 2014, ao governo do estado de São Paulo pelo MDB.

O juiz Marco Antonio Martin Vargas, da 1ª Zona Eleitoral de São Paulo, aceitou a denúncia do Ministério, cujo conteúdo é  de que teriam sido feitos sob os codinomes ‘Kibe’ e ‘Tabule’, entregas registradas pela empresa, e pela transportadora, no dia 21 de agosto de 2014, na Avenida Ibirapuera, 2927, onde fica o Hotel Bourbon.

O magistrado apontou elementos que constituem um “conjunto de indícios, capaz de reforçar a convicção sobre o envolvimento dos denunciados no complexo esquema de pagamento de propina, omissão de dados à Justiça Eleitoral e lavagem de capitais, supostamente erigido para dissimular os fins ilícitos dos grupos políticos e empresariais apontados”.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas