Sistema eleitoral venezuelano é um dos melhores da América Latina, dizem especialistas eleitorais

CEELA

Caracas, AVN O sistema eleitoral da Venezuela é um dos melhores da América Latina pela efetividade ao transmitir os resultados e sua capacidade tecnológica, ressaltou nesta segunda-feira o Comitê de Especialistas Eleitorais da América Latina (Ceela).

Durante uma coletiva de imprensa na sede do Conselho Nacional Eleitoral (CNE), os acompanhantes de Honduras e El Salvador destacaram o comportamento cívico do povo venezuelano que participou do processo eleitoral do último domingo.

“Observamos uma convivência que deu bom resultado da jornada, pudemos constatar que existiu transparência no desempenho da jornada e um muito bom elevado nível de organização da mesma. Acreditamos que o sistema eleitoral da Venezuela é um dos melhores da América Latina”, disseram.

Os representantes argumentaram que a capacidade de organização do sistema eleitoral venezuelano é destacável pela realização de mais uma eleição em pouco tempo, -a propósito da eleição presidencial em 20 de maio, quando Nicolás Maduro foi reeleito.

Também destacaram o processo de auditoria do sistema eleitoral, que é realizado antes, durante e depois das eleições e a imediatez dos resultados.

“Em nenhum país da América Latina há tantas auditorias em um sistema eleitoral. A Venezuela é o país que incorporou mais  tecnologia tanto no processo de votação como no escrutínio de resultados”, afirmou Augusto Aguilar, acompanhante de Honduras.

Durante a votação dos conselhos municipais, os acompanhantes internacionais percorreram centros de votação para verificar o desenvolvimento do processo eleitoral, conversar com os participantes, e ao final fizeram observações às autoridades do CNE.

“O processo de substituição de máquinas de votação deve contar com maior agilidade para que na maior brevidade seja restabelecido o processo eleitoral; nossa missão pôde fazer contato com as organizações políticas e vimos que o tempo da campanha é sumamente reduzido para identificar as pesquisas e para incentivar a população a participar neste tipo de processo”, observou Eugenio Chicas, de El Salvador.

De acordo com o especialista eleitoral, o nível e participação na votação deste domingo está dentro dos padrões da América Latina, “já que em eleições municipais votam muito menos pessoas que nas presidenciais. A América Latina é muito propensa ao presidencialismo”, afirmou Chicas.

Ele sugeriu ainda às autoridades eleitorais incrementar a campanha cívica para destacar a relevância, o papel dos candidatos a conselhos municipais para futuras eleições, e elogiou a eficiência do CNE e a eficiência do sistema eleitoral para garantir o direito ao voto.

“Sem dúvida é admirável como na Venezuela se aperfeiçoou o sistema eleitoral; em cada eleição encontramos a eficiência e a capacidade de votação, definitivamente admirável”, resumiu o observador de El Salvador.