Sindicalistas dos Correios entregam novamente o futuro do plano de saúde nas mãos do TST

fentect findect

Os sindicalistas do movimento dos trabalhadores dos Correios, ligado ao Bando dos Quatro (PT, PCdoB, PSTU e diretoria do Sintect-MG -LPS), entraram com pedido no TST (Tribunal Superior do Trabalho) para que os ministros golpistas dessa corte decidam sobre o valor que os pais e mães  de funcionários devam pagar para usar o plano de saúde dos Correios.

O TST já notificou a direção da ECT sobre a vontade dos sindicalistas do Bando dos Quatro definirem o futuro do plano de saúde do trabalhador no Tribunal dos patrões, e obviamente, a direção golpista dos Correios, aceitou a vontade dos sindicalistas, anunciando que só está esperando os ministros do TST convocá-los para uma audiência.

Os sindicalistas do Bando dos Quatro já entregaram a luta da categoria pelo plano de saúde gratuito na campanha salarial de 2017, quando orientaram os trabalhadores encerrarem uma greve de 20 dias, aceitando um acordo que dava carta branca para os ministros do TST decidirem sobre o pagamento de mensalidades no plano, como também a retirada dos país e mães dos trabalhadores do plano de saúde da categoria.

Os juízes golpistas do TST, que só julgam contra os interesses  dos trabalhadores, restringiram que os pais e mães de trabalhadores dos Correios pudessem usar o plano de saúde somente até 31 de julho de 2019, ou seja, daqui há 4 meses não haverá mais atendimento médico para os pais e mães dos trabalhadores.

Agora, os sindicalistas traidores querem que os juízes golpistas terminem o serviço começado na campanha salarial de 2017, determinando a cobrança de mensalidades também para país e mães no plano.

Os sindicalistas do Bando dos Quatro abandonaram até a demagogia de chamar o trabalhador para lutar por seus direitos, pulando etapas, e já indo direto para quem eles confiam, os ministros biônicos e golpistas do TST.

Para os sindicalistas do Bando dos Quatro, trabalhador não quer lutar, trabalhador é burro, inteligente é entregar os direitos dos trabalhadores para sejam decididos por juízes que aprovaram a Postal Saúde e formularam as mensalidades no plano e a retirada dos país.

Contra a política pelega dos sindicalistas do Bando dos Quatro, os trabalhadores devem defender o fim da Postal Saúde, a volta dos Correios Saúde, com o fim das mensalidades no plano e manutenção dos pais e mães para ser atendidos pelo plano.