Sindicalistas do “Bando dos Quatro” abrem espaço para MBL ganhar Sintect-RS

sintect-rs

Os sindicalistas dos Correios ligado ao chamado “Bando dos Quatro” (PT, PCdoB, PSTU e diretoria do Sintect-MG- LPS) se reuniram e decidiram facilitar a vida da direita e entregar o Sintect-RS (Sindicato dos Trabalhadores dos Correios do Estado do Rio Grande do Sul) para a direita.

Simplesmente resolveram de comum acordo acabar com a proporcionalidade nas eleições sindicais para diretoria desse sindicato, a fim de que a direita possa montar uma chapa, concorrer às eleições e ganhar sozinha o controle do sindicato dos trabalhadores dos Correios do Rio Grande do Sul.

O interessante dessa história é que a decisão de acabar com a proporcionalidade na diretoria do sindicato, que existe desde 1988, foi tomada pelos sindicalistas do “Bando dos Quatro”, justamente no momento em que a direita mais cresce no Brasil, inclusive tendo o país um presidente golpista, declaradamente fascista, Jair Bolsonaro, que já declarou por diversas vezes que é contra sindicatos e sindicalistas, sua vontade é por todos na cadeia.

E não por acaso, as eleições abertas no Sintect-RS desse ano teve a inscrição de 4 chapas, uma delas, a Chapa 4 é formada pelo MBL e por bolsonaristas.

Os sindicalistas do “Bando dos Quatro” formam as outras três chapas, assim compostas: Chapa 1: sindicalistas do PSTU, MRL/PT e grupo da direitoria do Sintect-MG- LPS); a Chapa 2 – PCdoB e setores do PT (MPT); e a Chapa 3 – MRS (pró golpe de 2014) com a Unidade Classista (PCB).

O Bando dos Quatro abriu a porta para o enfraquecimento da entidade sindical, tiraram o poder do trabalhador de base participar da direção da sua entidade e facilitou para que a direita possa botar a mão na entidade, e na melhor das hipóteses, o sindicato vá para o lado dos divisionistas da categoria, que ressuscitaram a “Federação fantasma” (Findect), pois a chapa 2 do PCdoB é a chapa dos divisionistas que entregaram todas as últimas campanhas salariais da categoria, através dos Sindicatos de São Paulo e Rio de Janeiro.

Do mais, se de fato os sindicalistas do “Bando dos Quatro” fossem classistas, jamaois poderiam deixar que pessoas ligadas ao MBL e bolsonaristas participassem da eleição sindical, uma vez que esses grupos são a favor da extinção dos sindicatos, e da privatização dos Correios, ou seja inimigos dos trabalhadores dos Correios.