Servidores públicos de Santo André podem cruzar os braços nesta sexta feira

s.andré

Os servidores públicos de Santo André  organizados pelo  Sindicato dos Servidores Públicos de Santo André (Sindserv) estão em luta contra o prefeito coxinha Paulo Serra do PSDB, que há muito vem abusando dos servidores públicos de Santo André. E a gota d’água foi o anúncio de que o prefeito não cumpriria o acordo coletivo da categoria referente ao ano passado, onde não houve a concessão de reajuste para a categoria e ficou acertado que o reajuste relativo àquela campanha salarial seria paga em duas parcelas, sendo uma em 2018 e a outra em 2019, mas já na primeira parcela o Prefeito se negou a realizar o já acordado.  Frente a isso os servidores andreenses que tem data-base da categoria em 1º de abril e já preparavam a greve desde março, podem cruzar os braços a partir de sexta feira.

Quando os trabalhadores realizarão assembleia e sairão em passeata, com concentração a partir das 17h, no vão do Paço Municipal de Santo André, para reivindicar da Prefeitura valorização nos salários, melhores condições de trabalho e o pagamento do retroativo da Campanha de 2017 — promessa feita pelo prefeito golpista Paulo Serra.

No entanto, já antecedendo a possibilidade de greve a ser deflagrada na próxima sexta feira, a categoria, que está em Campanha Salarial, fará paralisações em vários setores do funcionalismo na SOSP, Semasa, Craisa, Fabrinq, Paço, CHM, Guarda, Escolas, entre outras repartições públicas.

A categoria também reivindica que a Prefeitura pague reajuste de 3,07% (reposição da inflação calculada pelo IPC/DI- FGV) e também pela  incorporação de R$ 100,00 nos salários. No entanto, após várias negociações entre sindicato e prefeitura, nada avançou, com o executivo oferecendo apenas 2,68% (reposição da inflação calculada pelo IPCA dos 12 meses da data-base 1º de abril) nos salários e demais benefícios econômicos, e 0,32% a título de retroativo da Campanha Salarial do ano passado, sendo que o retroativo já acordado em convenção coletiva seria de cerca de 2,5%. Sem falar inúmeros outros abusos do tucanato andreense como enormes descontos (irregulares) dos salários do funcionalismo através de vale transporte, ocorrido há cerva de três meses, desrespeito ao estatuto dos funcionários públicos se negando a pagar direitos dos servidores, como adicionais por formação acadêmica(professores), entre outros.

Frente a isso os servidores poderão decretar greve nesta sexta feira contra os abusos de Paulo Serra da prefeitura municipal.

Todos ao Paço Municipal de Santo André, nesta sexta feira 25 de maio às 17 horas. Ou paga ou é greve!