Servidores estaduais
Pelo segundo dia seguido, servidores do Acre ocupam Assembleia Legislativa para impedir votação da reforma que é nos mesmos moldes do governo bolsonarista
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
ea51594f-3e1f-4417-b818-ba8c2aae89a6 (1)
Servidores estão mobilizados desde ontem na ALEAC. Foto: Patrícia Paiva/DCO |

Da redação – Os servidores estaduais do Acre voltaram a ocupar a Assembleia Legislativa (ALEAC) em protesto contra a votação da Reforma da Previdência, que foi proposta pelo governo de Gladson Cameli (PP), aos moldes da reforma de Paulo Guedes.

Desde às 8h da manhã de hoje (07) – 10h, no horário de Brasília -, os sindicalistas, mobilizados pela CUT local, estão posicionados na Assembleia para impedir novamente a votação.

Em um primeiro momento, a segurança da Casa tentou impedir os servidores de entrar – o que é um direito deles. No entanto, a pressão popular foi tão grande que, além de conseguirem ocupar a Assembleia, os servidores também adiaram a votação.

Os deputados queriam votar às portas fechadas, para poderem aprovar o roubo da aposentadoria dos servidores acreanos.

A burocracia sindical tentou apaziguar a situação e chamar um diálogo com os deputados – que não estão dispostos a isso, mas somente a votar contra o povo. Entretanto, muitos servidores gritaram palavras como “se tiver que sair para o pau, vamos sair para o pau”, como relata ao Diário Causa Operária a servidora Patrícia Paiva.

Os servidores aprovaram uma resolução de mobilização permanente para impedir a votação e, ainda segundo Patrícia, a pressão dos servidores fez com que rachasse a base do governo na Assembleia. Após a pressão, os deputados se retiraram para tentarem ganhar um fôlego e esperar a poeira abaixar para seguir a votação depois que os servidores saíram do local, justamente por isso os trabalhadores aprovaram a mobilização permanente.

Ontem os servidores conseguiram suspender a votação devido à ocupação que realizaram, como foi noticiado por este diário.

Se aprovada a Reforma da Previdência, o Acre será o primeiro estado a implementar a extensão da reforma, isso mesmo sem ela ter sido aprovada pelo governo federal, o que revela o quão direitista é o governo Cameli.

A CUT e os servidores devem intensificar a mobilização, manter a ALEAC ocupada e chamar as demais categorias de trabalhadores do Acre a aderirem à manifestação, fazendo assim um ato de massas no estado que mobilize todos os trabalhadores – uma vez que a política de Cameli é a mesma de Bolsonaro e ataca toda a população acreana.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas