Terceirização na saúde
Bruno Covas promove a destruição da saúde em SP
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
O governador do estado de São Paulo, João Doria, esteve em Indaiatuba para a cerimônia de entrega das clínicas/UBS Jardim Carlos Augusto Camargo Andrade e Jardim Maritacas. As unidades fazem parte do Programa Saúde em Ação, parceria da Secretaria de Estado da Saúde com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).. Local: Indaiatuba/SP. Data: 23/03/2019 Foto: Governo do Estado de São Paulo
Covas terceiriza UBS em São Paulo precarizando o acesso a saúde pública | Governo do Estado de São Paulo

Servidores da saúde pública da cidade de São Paulo vêm fazendo a denúncia da intenção da gestão atual de desmontar os serviços prestados à população. Caso específico é o da Unidade de Saúde Básica Santa Cecília no bairro de Santa Cecília no centro da cidade, que segundo anunciado pelo governo terá sua administração transferida para uma OSS, a empresa Iabas.

Segundo representantes sindicais do Sindsep a decisão foi somente informada aos funcionários e usuários, sendo que todas as decisões a respeito do atendimento têm que necessariamente ser discutidas e aprovadas por um conselho gestor com diversos representantes, o que não ocorreu. Mesmo com posicionamento posterior do conselho com a presença de muitos usuários contrários a transferência administrativa, a decisão foi mantida pelo governo.

A UBS Santa Cecília oferece além do atendimento básico a população, um programa especializado de hormonoterapia para mais de mil pessoas trans, segundo os usuários o tratamento é essencial para a qualidade de vida, sendo realizado com equipe especializada nas necessidades do público trans e atendimento humanizado. O programa corre o risco de acabar com a terceirização, já que os funcionários estarão disponíveis na unidade somente esse ano.

A referida empresa que administrara a UBS, a Iabas, tem assumido o papel de terceirizar serviços na área da saúde a algum tempo, sendo alvo de vários processos de investigação abertos devido a irregularidades nos serviços prestados, foi a Iabas que recebeu imensas quantias de dinheiro público para administrar os leitos dos hospitais de campanha no combate ao coronavírus no Rio de Janeiro e São Paulo com falta de equipamentos e equipamentos inadequados, além de sofrer processos por usar dinheiro publico para gastos institucionais, pela legislação a Iabas corre o risco de ter que devolver dinheiro aos cofres e risco de não poder concorrer mais a editais. Porém na realidade de golpe em que vivemos, o que a Iabas ganha é a administração dos postos de atenção básica a saúde e será responsável pela saúde da população atendida pelo SUS, não sendo um grande mistério para ninguém que tipo de atendimento irá oferecer.

A terceirização dos serviços do SUS é um projeto já anunciado pelos governos de diversas esferas no Brasil, Bolsonaro até tentou realizar o desmonte em grande escala, mas este foi barrado pela resposta da indignação popular. Mas a realidade é que a terceirização dos serviços de saúde já acontece de forma localizada nas cidades e estados. Promovendo a lógica do corte de gastos, precarização do trabalho e eliminação em etapas do atendimento à população.

É preciso organização de toda a população e profissionais de saúde para dar um grande combate ao desmonte do setor da saúde pública, terceirizar é sinônimo de destruir, é necessário fazer esse esclarecimento e promover a mobilização contra o projeto de piorar as condições de vida do povo brasileiro.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas