Servidores da USP, Unicamp e Unesp aprovam indicativo de greve por aumento salarial

Aérea-USP-2007-Fto-Jorge-Maruta_-Jornal-da-USP-001

Da redação – Diante da proposta do Cruesp (Conselho de reitores das universidades estaduais de São Paulo), de reajuste salarial de 2,2%, o Fórum das Seis, que representa os sindicatos de servidores da USP, Unicamp e Unesp, aprovaram um indicativo de greve.

A proposta ainda será votada pelos servidores em cada universidade.

A proposta dos reitores é um falso reajuste salarial. Segundo os sindicatos, as perdas salariais nos últimos anos atingiram 15% e portanto o aumento de 2,2% não ajuda em nada a situação dos servidores das universidades.

Ontem (27), os servidores da USP realizaram um ato em frente à reitoria para denunciar os ataques da instituição contra os trabalhadores da universidade.

A reivindicação dos servidores ainda é pouca: apenas 8% de aumento salarial. A política correta seria defender um reajuste à cima dos 15% perdidos, apenas desta forma o aumento salarial seria real.

Se a proposta dos reitores passar, será o segundo ano consecutivo em que os servidores terão um reajuste abaixo da inflação. Nos últimos 12 meses, a inflação é de 4,94%, segundo o IPCA – já no ano passado, a universidade concedeu um reajuste ínfimo de 1,5%, estando a inflação do período em 2,9%. Em 2017, não houve nenhum tipo de reajuste.

Desta forma, é um reajuste falso qua mantém os trabalhadores com péssimos salários.