Crise na burguesia
O tucano golpista sempre foi protegido pela justiça burguesa, vendo seus processos de décadas nunca darem em nada
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Senador José Serra na cerimonia de posse dos novos ministros, Osmar Serraglio (Justiça) e Aloysio Nunes (Relações Exteriores), em cerimonia no Palácio do Planalto. Brasilia, 07/03/2017.
O senador José Serra, um dos caciques do PSDB, é alvo de operação da Lava Jato | Foto: Sérgio Lima

O Ministério Público Federal (MPF) de São Paulo denunciou nesta sexta-feira (3) o ex-governador paulista e hoje senadoro, José Serra (PSDB), 78, por lavagem de dinheiro transnacional. O tucano golpista foi acusado junto de sua filha, Verônica, também denunciada pela equipe da Lava Jato de São Paulo na operação Revoada.

Ainda segundo a Procuradoria, foi autorizado o bloqueio de cerca de R$ 40 milhões em uma conta na Suíça, porém, não foram divulgadas informações sobre a tal conta, mantendo-a sob sigilo da força-tarefa.

Oito mandados de busca e apreensão estão em curso em São Paulo e no Rio de Janeiro, para dar andamento às investigações. Alguns destes imóveis alvos da operação têm ligação com o senador, incluindo a sua residência atual.

O Ministério Público Federal alega que foram cometidos crimes até 2014. Entretanto, em 2018, o Supremo Tribunal Federal decidiu que crimes atribuídos a Serra cometidos até 2010 estavam prescritos. O que também não é novidade, já que o golpista, ligado ao imperialismo norte americano, nunca foi investigado, mesmo.tendo sempre gavetas e mais gavetas de processos em torno de si.

A crise da burguesia avança em mais uma etapa, agora, atacando um dos maiores protegidos doa capitalistas.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas