Lava-jato
Em nota o ex-juiz golpista alega erro do STF em permitir que a defesa de Lula tenha acesso a conversas obtidas de forma criminosa
Brasília- DF 30-03-2017  Juiz Sergio Moro durante depoimento na  comissão de reforma do Código de Processo Penal.o Lula Marques/Agência PT
Sergio Moro, ex-juiz golpista da operação farsesca Lava-jato | Reprodução
Brasília- DF 30-03-2017  Juiz Sergio Moro durante depoimento na  comissão de reforma do Código de Processo Penal.o Lula Marques/Agência PT
Sergio Moro, ex-juiz golpista da operação farsesca Lava-jato | Reprodução

Sergio Moro na maior cara de pau criticou a decisão do STF de permitir que a defesa de Lula tenha acesso às mensagens que demonstram a farsa da operação Lava-jato. O golpista de Maringá nega que tenha praticado fraude processual, incriminação de inocente, sonegação de prova, antecipação de julgamento e quebra de imparcialidade por motivação político-partidário como demonstram as mensagens trocadas com o procurador também golpista Deltan Dallagnol. Veja nota:

1 – A Operação Lava Jato foi um marco no combate à corrupção e à lavagem de dinheiro no Brasil e, de certo modo, em outros países, especialmente da América Latina, colocando fim à generalizada impunidade destes crimes;

2 – A Operação Laja Jato foi um trabalho institucional, envolvendo todo o sistema de Justiça e órgãos acessórios. Também exigiu uma grande dose de sacrifício pessoal dos indíviduos que nela atuaram;

3 – Lamenta-se que supostas mensagens obtidas por violação criminosa de dispositivos de agentes da lei possam ser acessadas por terceiros, contrariando a jurisprudência e as regras que vedam a utilização de provas ilícitas em processos;

4 – Nenhuma das supostas mensagens retrata fraude processual, incriminação indevida de algum inocente, sonegação de prova, antecipação de julgamento, motivação político-partidária, quebra da imparcialidade ou qualquer ato ilegal ou reprovável.

Relacionadas
Send this to a friend