Sérgio Moro continua a perseguição contra José Dirceu e abre novo processo baseado em delação premiada

dirceu

Da redação – A perseguição contra José Dirceu (PT), que foi preso sem provas e hoje se encontra em liberdade esperando julgamento do trânsito em julgado, avança com mais uma delação sem provas envolvendo o ex-ministro petista. A “denúncia” é do ex-vice-presidente da empreiteira Engevix, Gerson Almada, que acusa Dirceu de receber propina em uma conta na Espanha, o que levou o juiz golpista Sergio Moro a abrir novo processo por envolvimento em mais um suposto esquema de corrupção.

A delação premiada afirma que houve recebimento de propinas nos contratos das empreiteiras UTC e Engevix com a Petrobras, que também figura como réu no processo, pagos à empresa de Dirceu, porém, são apenas acusações como as anteriores e as que levaram Lula para cadeia também sem provas.

A continuidade do processo os trabalhadores já conhecem: mais delações premiadas, trazendo acusações sem provas e levando dirigentes de esquerda para a prisão. Por isso é urgente a necessidade de reagir e derrotar o golpe de uma vez por todas.

A Conferência Nacional Aberta é uma boa oportunidade para unir todas as forças democráticas, debatendo um programa de mobilizações de massa que leve a luta ao próximo momento onde os trabalhadores sejam o fator ativo e decisivo da situação.

Participe e inscreva-se.