Sequestro contra imperialismo.
Membros da Frente Popular para a Libertação da Palestina sequestraram voo que ia da Espanha à Alemanha pedindo a libertação de presos políticos de seu grupo e da RAF da Alemannha.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
o-piloto-jurgen-schumann-senta-na-porta-aberta-do-landshut-no-aeroporto-de-dubai-em-15-de-outubro-de-1977-1488560029426_1920x1269
Avião Lufthansa sequestrado. |

No dia 13 de outubro de 1977, 4 membros da Frente Popular para a Libertação da Palestina (FPLP) sequestraram um avião da Lufthansa em apoio ao grupo alemão RAF, mais conhecido como  Grupo Baader-Meinhof. Os sequestradores pediam a libertação de 11 presos políticos ligados ao grupo alemão, entre eles seus líderes, de dois palestinos presos e mais 15 milhões de dólares.

O sequestro iniciou-se 30 minutos após a decolagem do voo 181 da Lufthansa que partia de Palma de Maiorca, na Espanha, em direção a Frankfurt, na Alemanha. O avião se manteve em voo de país em país, passando por Roma, Chipre, Bahrain, Dubai e Aden, até chegar a Mogadíscio, na Somália, onde foi invadido por um comando anti-terrorista alemão, que matou 3 dos 4 sequestradores.

O sequestro do avião fez parte de um conjunto de ações orquestradas pelo gruo RAF, conhecido posteriormente como “Outono Alemão”. Dentre o conjunto de ações, foi realizado o sequestro de  Hanns-Martin Schleyer, homem forte do imperialismo alemão e que era considerado o grande capitalista do país. Schleyer havia feito parte do regime nazista, tendo sido segundo-tenente da SS. Após o fim da segunda guerra, o então nazista havia sido preso por 3 anos. Após sair da cadeia, enriqueceu dentro do mundo corporativo, muito por conta de seus contatos da época nazista.

Um dos principais motivos que levavam o RAF a organizar a luta armada contra o imperialismo alemão era o fato de que o estado alemão havia se mantido praticamente o mesmo após a queda do regime nazista, fazendo com que muitas das personalidades que antes usavam a suástica tivessem enriquecido dentro do estado dito democrático.

Após o imperialismo ter conseguido resgatar o avião 181 da Lufthansa, o estado imperialista alemão assassinou 3 dos 4 líderes da RAF presos, Andreas Baader morto com um tiro na nuca, Gudrun Ensslin enforcada, Jan-Carl Raspe morto também com um tiro. A única sobrevivente foi Irmgard Möller, que levou 4 facadas no corpo mas sobreviveu. Irmgard diz que os 4 foram sedados dentro de suas celas para serem mortos. O estado alemão nega e prefere jogar a culpa nos presos, dizendo que houve um suicídio coletivo, aos moldes da ditadura militar brasileira com o caso Vladimir Herzog.

A RAF terminou por fuzilar o empresário nazista Hanns-Martin Schleyer, deixando o seguinte recado junto ao corpo: “Após 43 dias, acabamos com a existência corrupta e patética de Hanns Martin Schleyer. A luta apenas começou. Liberdade por meio da luta armada antiimperialista.”.

Tanto a luta da RAF quanto da FPLP demonstram como age a mídia burguesa imperialista nos casos ditos terroristas. Os grupos são apresentados até hoje como perversos e demoníacos enquanto que o estado que assassinou os membros da RAF na prisão, e que permitiu que pessoas como Hanns-Martin Schleyer e outros nazistas tenham ficado milionários após a segunda guerra, nunca é julgado.

O FPLP luta até hoje pela libertação de seu país da destruição imposta pelos países imperialistas com a criação do estado fictício de Israel, que nada mais é do que uma maneira de o imperialismo se infiltrar no oriente médio, onde causa destruição e leva a população local à extrema pobreza e a ter que viver todos os dias sob a mira dos fuzis israelenses.

 

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas