“Autonomia” aos capitalistas
Bolsonaristas e direita tradicional se juntam para entregar o Banco Central e as riquezas do País diretamente aos interesses do imperialismo
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Banco Central do Brasil, fachada externa. Brasília, 02-03-2017. Foto Sérgio Lima/Poder 360.
A "autonomia" do Banco Central é o velho desejo da burguesia. | Arquivo.

Na última terça-feira, dia 3, o Senado aprovou o projeto de lei que prevê a chamada “autonomia” do Banco Central. Agora, a proposta, que veio do governo Jair Bolsonaro, segue para a aprovação da Câmara dos Deputados.

Esse é o desejo antigo dos grandes capitalistas e especuladores internacionais, que agora poderão com maior facilidade colocar as mãos no Banco Central. O principal ponto do projeto prevê um mandato de quatro anos para os diretores da instituição. A burguesia apresenta a decisão como uma liberdade para o BC, ou nas palavras cínicas dos capitalistas, “blindá-lo de pressões político-partidárias.”

Esse é mais um crime que os golpistas estão procurando colocar em prática contra o povo brasileiro. No caso do Banco Central, é muito mais do que a entrega de uma riqueza nacional como acontece com as privatizações, é a entrega de toda a economia nacional nas mãos de um punhado de capitalistas.

O Banco Central não será mais uma expressão da política do governo, ou seja, por mais distorcido que seja o processo democrático no Brasil, fato é que se a população elegeu tal governo, o natural é que o Banco Central obedeça à política escolhida pelo povo.

O que os capitalistas desejam é manter o controle absoluto do Banco Central independentemente do governo de plantão. Nesse sentido, um governo mais nacionalista e mais à esquerda perderia totalmente o controle sobre os rumos do BC e da economia nacional.

Quando a burguesia afirma cinicamente que o BC está livre de “pressões político-partidárias” ela quer dizer que a única política possível para a instituição será a sua própria, ou seja, os interesses dos setores mais poderosos do imperialismo mundial.

Se hoje o Banco Central e a economia brasileira já é subserviente a esses interesses, o projeto que dá autonomia ao BC oficializa o domínio dos capitalistas internacionais, contra os interesses da maioria do povo.

A burguesia que a esquerda pequeno-burguesa classificou de “civilizada” em comparação a Bolsonaro está apoiando sem restrições mais esse crime contra o povo. Na realidade, mais precisamente, a chamada “autonomia” do Banco Central é uma política dos setores “civilizados” da direita. Bolsonaro está apenas cumprindo as ordens da burguesia.

Tanto é assim, que a imprensa golpista comemorou a aprovação no Senado. O Globo, Folha de S. Paulo e Estado de S. Paulo apoiam a medida. Em seu editorial dessa sexta-feira, dia 6, o porta-voz da burguesia mais poderosa do País, o Estadão afirma que a autonomia  é “necessária”. Segundo o editorial, “o projeto enfim aprovado pela maioria dos senadores proporciona as condições essenciais à modernização – ou normalização – institucional do BC.”

Na linguagem da direita, “modernização” deve ser traduzida como a entrega da riqueza nacional para os capitalistas, de preferência se foram os capitalistas internacionais. Em crise, o imperialismo precisa parasitar ao máximo a economia dos países e para isso precisa obter o controle cada vez mais rígido dessas instituições. Mais uma vez o povo brasileiro tem sua riqueza entregue aos parasitas por Bolsonaro e toda a direita golpista.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas