Eleições 2020
Com mais de 200 participantes, o Partido discutiu como fará a campanha eleitoral pelo Fora Bolsonaro, Lula Presidente por um governo dos trabalhadores

Por: Redação do Diário Causa Operária

Neste sábado e domingo ocorreu o Seminário Eleitoral Nacional do Partido da Causa Operária (PCO). Com o objetivo de discutir a campanha eleitoral, reuniram-se mais de 200 militantes e filiados, representantes de todas as regiões do País e do exterior, para discutir as diretrizes aprovadas na 30ª Conferência Nacional do Partido, que definiu o tema da campanha: Fazer das eleições uma tribuna de luta pelo Fora Bolsonaro.

No seminário, foi reafirmado que nas eleições em meio a um regime golpista:

“A questão central na atual etapa política é o problema do golpe de Estado imposto em 2016, com a derrubada do governo de Dilma Rousseff, aprofundado com a prisão o ex-presidente Lula, a eleição fraudulenta de Jair Bolsonaro em 2018 e os duros ataques do governo entreguista ao povo brasileiro, que já provocaram a morte de mais de 100 mil pessoas na pandemia do coronavírus, levaram mais da metade da classe trabalhadora ao desemprego, dezenas de milhões à fome e à miséria e a um brutal retrocesso nas suas condições de vida.”

Companheiros da direção nacional, como Rui Costa Pimenta, Antônio Carlos Silva, Rafael Dantas, Henrique Áreas, Natália Pimenta e João Jorge teceram considerações sobre os documentos que foram apresentados como base para a discussão no Seminário, entre eles:

  • Diretrizes básicas para a campanha eleitoral
  • Programa do PCO 29 para as eleições de 2020
  • Plano de campanha eleitoral 2020

A atividade foi marcada pela explicação dos pontos centrais destes documentos e pela discussão levantada através das perguntas que os participantes enviaram durante o seminário e os companheiros da direção responderam num segundo bloco.

O ponto central do evento foi a explicação de que todos os aspectos da atividade partidária, incluindo a participação nas eleições, terem como objetivo o crescimento e o fortalecimento do Partido. Por isso é preciso se basear na centralização partidária e em intervir nas eleições como uma fisionomia própria, expressa no programa partidário.

“Não aceitamos doações de santinhos… o nosso foco é o programa e o fortalecimento do partido.” (Rafael Dantas, membro do Comitê Central Nacional do PCO)

O companheiro Rafael destacou que um dos objetivos na campanha é separar o partido dos demais partidos políticos. Motivo pelo qual o partido não apoia candidatos de outros partidos, de coligações e outras articulações, para eleger candidatos a vereador ou a qualquer outro cargo. Ele disseu que o partido deve aproveitar todos os espaços, nas ruas, debates, entrevistas, reuniões, entre outros. Em todos estes locais, temos que levantar o nosso programa.

Ele continuou que de um modo geral, nas capitais, onde as candidaturas têm mais visibilidade, os candidatos serão perguntados sobre como resolver problemas locais, mas que o objetivo do partido é tratar sobre isso o mais breve possível, se for inevitável, e em seguida entrar nos problemas políticos fundamentais, como a campanha pelo fora Bolsonaro, a candidatura de Lula, a questão da pandemia e as questões fundamentais do programa do partido, expressa nos 18 pontos aprovados na 30ª Conferência.

E concluiu:

“De 2016 para cá, após o golpe de Estado, o partido teve um crescimento muito grande. No entanto, o número de filiados não expressou essa tendência. Enquanto o número de militantes triplicou, o de filiados ficou muito aquém deste dado. Portanto, não se pode perder tempo. Devemos propor imediatamente que as pessoas próximas filiem-se ao partido.”

O companheiro Henrique se concentrou no problema da cobertura das eleições. De um lado a cobertura da imprensa burguesa, golpista, de outro, a cobertura partidária, revolucionária. Para ele, a questão chave é a centralização da campanha. Ele citou pontos de como funcionará a cobertura da imprensa do partido diante das eleições, dando exemplos de como o plano de campanha ocorrerá nas redes sociais.

Por fim, o companheiro Rui Costa Pimenta destacou que a principal ferramenta de trabalho do partido serão as listas de contatos, pois é através delas que o partido aumentará seus militantes, filiados e simpatizantes e propôs a realização de um Seminário Extraordinário para os companheiros que não puderam participar deste, que será ainda nesta semana. Assim, o companheiro Antônio Carlos encerrou os trabalhos considerando o avanço da atividade e desejando uma excelente campanha para o Partido.

Send this to a friend