Sem provas: Lava Jato acusa Vaccari novamente e articula cassar o PT como organização criminosa

vaccari

Da redação – A operação golpista Lava Jato solicitou ao juiz Sérgio Moro, o “Mussolini de Maringá”, que condene o ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, mais uma vez sem prova alguma, apenas com as delações premiadas e muita convicção dos servos imperialistas.

Preso ilegalmente desde de abril 2015, Vaccari já foi absolvido pelo TRF-4, em segunda instância, em uma de suas condenações. À época, seguindo a série de arbitrariedades inquisitórias, continuou preso por Moro. Das quatro acusações que levaram aos diferentes processos, em nenhum deles há qualquer tipo de provas contra o réu, ficando evidente que os planos sempre foram pegar os maiores líderes do partido, não por cometer crime, o que até agora não foi provado nos casos de Dirceu, Lula ou qualquer outro, mas por perseguição política.

A nova acusação arbitrária, aponta “atuação significativa na implementação da Sete Brasil, bem como possuía, dentro da organização criminosa, elevado e preponderantes  poder de decisão sobre a forma como seria pactuada e destinada a propina recebida. Além de arrecadar os recursos ilícitos destinados ao partido, exercia papel relevante na manutenção política dos funcionários corruptos em seus postos estratégicos”. E indo mais além, acusam que dois terços da propina eram destinados ao PT e o restante para funcionários da Petrobras e da Sete Brasil.

Vale denunciar mais uma vez, que esses depoimentos acontecem na forma de ameaças, torturas psicológicas, e, organizados pelo imperialismo para entregar as empresas nacionais, levam dirigentes da esquerda para a prisão sem fundamento algum. E também, deve ficar claro para os trabalhadores que a finalidade de toda essa operação do imperialismo, orquestrada pela CIA em nosso país, é destruir o PT com a acusação de organização criminosa. O caminho está sendo desenhado para os que querem ver.