“Sem preconceito ideológico”: Ciro está disposto a qualquer tipo de aliança eleitoral

Ciro Gomes

A candidatura de Ciro Gomes já não é mais uma farsa – é uma verdadeira piada, um escracho com a cara dos trabalhadores e militantes sérios da esquerda. Os discursos inflamados de Ciro Gomes durante o processo de impeachment podiam até enganar uns – mas agora, não é possível acreditar minimamente que ele seja um candidato de esquerda.

Ciro Gomes, em várias declarações, deixou bem claro que sua candidatura era totalmente diferente da de Lula – segundo ele, a candidatura de Lula “polarizada o país”, enquanto a dele submeteria o Brasil de joelhos ao imperialismo. Quando o ex-presidente foi preso, Ciro chegou a dizer que Lula não era um preso político.

Ciro Gomes também mostrou todo seu caráter golpista quando disse que queria Benjamin Steinbruch como seu vice-presidente. Assim, de  maneira simbólica, Ciro firmou em público uma aliança com os golpistas – chamou para  sua chapa ninguém menos que um dos principais representantes da FIESP, patrocinadora do golpe de Estado.

Em entrevistas posteriores, Ciro declarou que gostaria de governar com partidos como o PP e o DEM. A declaração teve uma péssima repercussão na esquerda, mas Ciro jamais desmentiu. Agora, seu irmão e ex-governador do Ceará, Cid Gomes, esclareceu que, de fato, Ciro quer governar com ACM Neto e todos os outros vigaristas do Brasil. Segundo Cid, Ciro Gomes teria dito que “todos os partidos que se dispuserem a ajudar serão bem-vindos, sem preconceito ideológico”.

A candidatura abutre de Ciro Gomes é mais uma manobra dos golpistas para excluir os trabalhadores e setores democráticos do regime político golpista cada vez mais ditatorial que a direita súdita do imperialismo busca impor. Por Isso, é necessária uma mobilização revolucionária dos trabalhadores para libertar Lula na marra e elegê-lo presidente.