Sem Lula, as eleições são uma fraude: não participar da fraude!

lula3

Apesar de Lula ter direito de se candidatar a qualquer cargo nessas eleições, a direita golpista não está disposta a assistir ao maior líder popular do país participar ativamente de qualquer episódio relevante na situação política. Há mais de cem dias, o ex-presidente Lula foi preso, mas, mesmo assim, é o único candidato real das eleições – o único que expressa toda a revolta da população contra o golpe de Estado.

Após a prisão de Lula, a burguesia pressionou diariamente a esquerda para que o PT desistisse da candidatura de Lula. No entanto, o PT não abriu mão de lançar a sua maior liderança e aprovou, em sua convenção partidária, a candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva. Além disso, a presidenta do PT, Gleisi Hoffman, e outros setores engajados na luta contra o golpe, como o PCO, estão convocando um grande ato para o próximo dia 15, em Brasília, quando a candidatura de Lula deverá ser registrada.

Como a direita não conseguiu convencer ninguém de que Lula não deveria ser candidato, sua única alternativa tem sido o Judiciário. O mesmo Judiciário que foi conivente com o impeachment da presidenta Dilma Rousseff e que condenou o ex-presidente Lula se encontra agora empenhado em proibir, de todas as maneiras, que Lula participe das eleições.

A única forma possível de reagir às arbitrariedade é através da mobilização dos trabalhadores contra o golpe. É preciso sair às ruas, formar comitês de luta, construir a greve geral contra o golpe – essas são nossas ferramentas para exigir a liberdade de Lula, anular as medidas do governo golpista e pôr abaixo o regime político apodrecido. Votar em outro candidato ou apontá-lo como o substituto de Lula seria nada mais que legitimar o golpe – seria aceitar que Lula seja impedido de se candidatar pela direita golpista.

Os trabalhadores e setores que lutam contra o golpe não podem participar de nenhuma fraude. Lula ou nada!