Segundo turno em São Paulo: voto útil em Bolsonarista para derrotar Bolsonarista?

frança e bozo

A esquizofrenia da esquerda pequeno burguesa por eleição, chegou a seu cúmulo.

Mostrando que a esquerda aposta que as eleições é algo mágico, está apresentando o orientação de votar no segundo turno das eleições ao governado do Estado de São Paulo, no direitista e indicado de Geraldo Alckmin, Márcio França, contra João Dória do PSDB, o mesmo partido de Geraldo Alckmin.

Uma espécie de voto útil, para impedir o mal maior, o candidato menos pior, evitar o monstro etc, etc…

O voto útil por si só já é um erro, em uma eleição aonde a burguesia é que controla toda a máquina eleitoral, pois ela com certeza utilizará o expediente do voto útil para manipular os votos no candidato que ela escolher.

Um exemplo dessa manipulação do voto útil, foi as eleições dos anos 90, quando a burguesia utilizava o voto útil, para eleger a turma do PSDB contra o monstro e direitista Maluf do PP, e no final o maior menor do PSDB se elegia e fazia no governo tudo que o Maluf dizia que iria fazer.

Mas no caso da eleição ao governo do Estado de São Paulo, entre o candidato João Dória do PSDB e o candidato Márcio França do PSB, a gente tem dificuldade de dizer quem é o mal menor

João Dória é do PSDB do partido do direitista Geraldo Alckmin, e Márcio França é do PSB, que em São Paulo é uma legenda de aluguel do PSDB de Geraldo Alckmin.

João Dória declarou apoiar ao golpista, direitista Jair Bolsonaro. Já Márcio França recebeu publicamente o apoio da turma da pesada do Bolsonarismo de São Paulo, a começar pelo Major Olímpio. que milagrosamente recebeu 9 milhões de votos no Estado, ganhando do candidato mais popular do Senado brasileiro, Eduardo Suplicy.

João Dória diz que em seu governo a Polícia Militar terá enorme poderes para atuar contra o povo, já Márcio França trouxe a chefona da PM, a Coronel Nikoluk para ser seu vice governador, uma direitista convicta.

João Dória apoiou o golpe e se diz contra os petistas, já Márcio França, além de ser golpista se aliou no segundo turno com o símbolo do golpe, o pato da FIESP (Federação das Indústrias de São Paulo) Paulo Skaf.

Ou seja, se há dúvida para dizer qual dos dois candidatos ao governo de São Paulo é pior, na forma e relações materiais, sem dúvida Márcio França está bem mais assessorado que João Dória para fazer maldade contra o povo de São Paulo.

No entanto, os dois candidatos não merece o voto da população trabalhadora de São Paulo, a única forma de impedir ou diminuir a agressão dos golpistas aos direitos e condições de vida dos trabalhadores é a mobilização popular nas ruas, através da luta contra o golpe e todos os golpistas.