Avanço do coronavírus
Governos europeus adotam medidas demagógicas diante do novo avanço da doença
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
©-Global-Imagens_Noticiasaominuto
Europa sob segunda onda do Covid-19 | Foto: Reprodução

Ao mesmo tempo em que os capitalistas de todo mundo buscam acabar de vez com o isolamento social, impondo o retorno ao trabalho para todos os setores da economia, como é caso das escolas, a pandemia do coronavírus está completamente fora de controle em escala global. Na Europa, países como a França, a Suécia e a Espanha enfrentam a chamada segunda onda de contaminação por conta do coronavírus. Estimativas dão conta de que a contaminação na Europa seguem uma média de 10 mil contaminações por dia.

Na França, diante do aumento do número de contágios e mortes (o País atingiu 18 mil casos por dia e soma 33 mil mortos), o presidente Emmanuel Macron anunciou uma política de toque de recolher nas principais cidades da França, como Paris, Lyon e Toulouse. O governo estabeleceu que bares e restaurante devem fechar impreterivelmente às 21 horas. A multa para aqueles que foram pegos pela fiscalização quebrando o toque de recolher poderão receber uma multa de 135 euros, 1500 euros em caso de reincidência.

Macron, por outro lado, afirmou que escolas e universidades, que estão em funcionamento, não serão fechadas novamente, e que não haverá um retorno ao isolamento social.

O toque de recolher é um política repressiva, demagógica e desesperada do governo francês. O fato é que os capitalistas não realizaram nenhuma política de investimento na saúde e prevenção da segunda onda de contaminação, e agora buscam jogar a responsabilidade do aumento dos casos sobre os ombros da população francesa.

A farsa de tal política fica evidente no fato do governo francês não querer fechar as escolas e implementar  novamente a política de isolamento social.

Seguindo o exemplo francês, a Alemanha, Reino Unido e Holanda também mantém as escolas abertas, mesmo com o crescimento da contaminação, os governos destes países  até o momento se colocaram contra o retorno da política de isolamento social.

Na República Checa, o governo adotou a medida de suspender as operações sem urgências nos hospitais, para liberar mais leitos para os pacientes contaminados pelo coronavírus.

Na Suécia, a contaminação atinge principalmente a população mais jovem do país. Assim como na França, ao invés de adotar medidas consequentes contra a doença, o governo busca responsabilizar esta parcela da população, com proibições de festas e encontros.

A Itália, um dos países mais afetados pela pandemia no início do ano, atingiu o número de 5 mil contaminações por dia. Outro país onde a contaminação novamente alcançou níveis elevados é a Espanha com 1000 casos por dia em várias regiões do país.

O avanço da pandemia com a segunda onda, demonstra a falência completa do sistema capitalista. Os governos europeus, de um modo geral, buscam fazer demagogia sem qualquer política efetiva de combate à doença, até mesmo a política de isolamento social é colocada para escanteio, tudo para atender os interesses dos grandes capitalistas.

Esta situação demonstra que a única saída diante do avanço da doença é a mobilização popular contra os governos capitalistas e genocidas

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas