Fascismo institucional
No dia 4 de setembro. o comediante Marcelo Adnet parodiou o primeiro vídeo da série “um Povo Heróico” protagonizada pelo secretário especial da Cultura, Mário Frias.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
EhJ-e0_WkAIaxrQ (1)
Marcelo Adnet parodiando episódio da série “um Povo Heróico” | Foto: Reprodução Twitter SecomVc

No dia 4 de setembro. o comediante Marcelo Adnet parodiou o primeiro vídeo da série “um Povo Heróico” protagonizada pelo secretário especial da Cultura, Mário Frias. A série diária foi elaborada pela Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom) em comemoração ao Dia da Independência.

A peça parodiada foi protagonizada por Frias, que fez sua carreira como ator da Globo, traz um discurso ufanista louvando em tom grandiloquente esse momento histórico do país. Com roteiro de falas lamentáveis como “Eu falo ‘a gente’ porque eu conheço a nossa gente” enquanto fitava fixamente um busto da Princesa Isabel, uma simbologia superficial e pobre da história nacional.

A paródia ocorreu em uma série diária de humor que o comediante vem realizando durante a quarentena, “Sinta-se em Casa”. No episódio Adnet parodiou o vídeo do secretário em uma reprodução do quadro “Arquivo Confidencial”, do apresentador Faustão.

Na sexta feira, noite imediatamente posterior a publicação da paródia, Frias atacou e ameaçou pessoalmente a Adnet, na rede social do Instagram. “Quem em sã consciência consegue conviver no mundo real com um idiota egoísta e fraco como esse? Onde eu cresci ele não durava um minuto. Bobão!” finalizou Frias.

O ataque ao comediante não limitou-se a pessoa do secretário especial de cultura, a própria Secom se pronunciou atacando Adnet em sua conta na rede social Twitter. “Erramos. Acreditamos que seria possível unir todo o país em torno de bons valores e de bons exemplos. Afinal, ninguém é contra a bondade, o amor ao próximo, o sacrifício por inocentes, certo? Errado! Infelizmente, há quem prefira parodiar o bem e fazer pouco dos brasileiros” postagem da Secom.

Após essas manifestações dantescas do governo, deputado estadual Flavio Serafini, do PSOL do Rio de Janeiro criticou o caso: “O ex-ator de Malhação e Secretário Especial de Cultura @mfriasoficial, nomeado porque nenhum artista quis queimar seu filme ao lado de Bolsonaro, fez uma crítica profunda e contundente ao @MarceloAdnet , eu diria arrasadora mesmo. Chamou ele de: BOBÃO.”. E foi prontamente Serafini foi ameaçando com a Polícia federal por Frias: “Cuidado com PF…”

Esse cenário grotesco de pessoas públicas e instituições do governo atacando opositores, ameaçando, tentado calar suas vozes pela força, não é uma exceção com o comediante Adnet. Pelo contrário essa é forma de atuação ordinária do governo fascista de Jair Bolsonaro, que usar as instituições burguesas do governo federal contra seus opositores.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas