Seca do Alckmin: São Paulo pode ter crise hídrica pior que em 2013 e 2016

cantareira1

Da redação – Segundo especialistas o estado de São Paulo está prestes a passar por uma nova crise hídrica que pode ser ainda pior das que ocorreram durante os anos de 2013 e 2016. Isso porque o principal reservatório de água da Grande São Paulo, o Sistema Cantareira, está em estado de alerta, atingindo níveis críticos de 39,7%. Ou seja, o sistema de abastecimento está com mais de 60% de sua capacidade comprometida, o que coloca em risco o abastecimento hídrico da região mais populosa do país.

Segundo a Agência Nacional de Água o nível de funcionamento do Cantareira fica usualmente na chamada “faixa de atenção” e deveria ficar com capacidade de operação em níveis entre 40% e 60%. Dessa vez, segundo informa a própria Sabesp, a situação está ainda pior do que na véspera da crise hídrica de 2013 quando os níveis atingiram 53,6%.

Alguns fatores meteorológicos têm impacto na situação, a exemplo da questão das chuvas que ficaram muito aquém do esperado para esta época do ano. No entanto, apenas fatores climáticos não explicam a continuidade das crises hídricas em São Paulo. A verdade é que existe um total desinteresse do Governo do Estado, que há mais de 23 anos está nas mãos dos políticos do PSDB, em resolver os problemas da população e por isso os cidadãos paulistas sofrem ano após ano com crises de desabastecimento e com a piora das suas condições de vida. O governo dos tucanos não adotou nenhuma medida para atenuar o problema do sistema Cantareira e é provável que o estado de São Paulo sofra mais uma vez com a falta de água.