“Se querem normalidade no Brasil, é melhor não tocar no Lula”, diz presidente do PT do RJ

Em entrevista ao jornal O Dia do Rio de Janeiro, o presidente estadual do PT, Washington Quaquá, reafirmou a necessidade de defender o ex-presidente Lula da perseguição política da direita, bem como a tentativa ilegal e arbitrária de prendê-lo.

Segundo  o presidente do PT-RJ:  “Só se faz revolução com Exército ou com o povo na rua. Nós não temos hoje gente organizada para uma reação que altere a conjuntura, que altere a situação política. O que não significa que não teremos. Uma prisão do Lula pode levar o PT e as forças aliadas a organizar o povo. E isso pode, em um mês, gerar 50 mil pessoas na rua; em três meses, 200 mil; em seis meses, pode ter um milhão. Ninguém sabe o que pode acontecer com uma prisão do Lula. Nós, obviamente, temos que radicalizar mais. Se querem normalidade no Brasil, é melhor não tocar no Lula”.

O regime golpista subverteu completamente o regime político estabelecido desde 1988 com a promulgação da Constituição Federal. Deram um golpe de Estado, criaram tribunais de exceção no país para perseguir a esquerda, condenaram e prenderam sem provas, ou seja, fizeram todos os tipos de ilegalidades e arbitrariedades para conquistar seus objetivos, ainda que parcialmente.

O regime político anterior ao golpe de Estado e sua ordenação jurídica já não existem mais, e foi a própria burguesia que o desfez. Eles colocaram-se fora da legalidade, inclusive com ameaça constante de estabelecerem uma ditadura militar, fato que está em curso com a intervenção no Rio de Janeiro. A postura ofensiva da burguesia contra o povo coloca a situação nos seguintes termos: é preciso mobilizar as amplas massas para derrotar o golpe de Estado por todos os meios que forem necessários.

Fala do presidente do PT já expressa, em algum grau, essa constatação elementar. e portanto a luta contra esse regime golpista deve ser intransigente, por isso é necessário mobilizar seriamente as amplas massas para a luta contra o golpe, caso contrário, se o movimento permanecer apenas no limite do que é permitido pelo próprio regime, como a eleição por exemplo, o golpe vai se aprofundar.

Só a mobilização das massas pode derrotar o golpe de Estado. Não à prisão de Lula. Ocupar São Bernardo.  Abaixo Golpe de Estado. Não a ditadura militar.