Caos à vista
Os trabalhadores serão contagiados no transporte público indo ao trabalho, e não nas manifestações reivindicando as medidas que evitarão que o povo morra de coronavírus e fome
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
vagoes-saem-da-estacao-capao-redondo-sentido-chacara-klabin-ambas-da-linha-5-lilas-com-superlotacao-logo-pela-manha-1579792052043_v2_1920x1440
Metrôs e ônibus lotados contaminarão em massa. Foto |

Por Izadora Dias

Um grande debate levantou-se em torno da defesa por parte do Partido da Causa Operária das manifestações, criticando os cancelamentos dos atos da esquerda. O governo tem colocado a responsabilidade de evitar a propagação do vírus nas mãos da população causando pânico e histeria. E na prática, proibiram aglomerações com mais de 500 pessoas e estão atacando os direitos democráticos, declarando guerra contra o povo e impondo toque de recolher.

Mas a questão é: a classe trabalhadora poderá ficar em casa e evitar as aglomerações dos metrôs, trens e ônibus que continuam lotados? E para piorar, as gestões estão diminuindo as frotas do transporte público em vez de aumentar.
As pessoas que precisam trabalhar, não têm a opção de seguirem as recomendações e ficarem em quarentena, as empresas já foram autorizadas a diminuir as jornadas de trabalho e diminuir salários, as que não fizerem isso, demitirão em massa e outras precisarão ainda mais dos operários, pois quem produzirá e transportará os produtos consumidos histericamente no momento e os produtos essências para os hospitais e farmácias?

O saneamento da água, a manutenção das redes de energias e internet são feitas por trabalhadores. Se eles pararem, tudo para. E nem que eles quisessem ficar em casa, poderiam. Os Correios recorrerão ao STF para impôr que os trabalhadores da empresa não possam parar durante a pandemia e com certeza essa medida será estendida para outras categorias. Isso mostra que quem tem que fazer algo para evitar o largo raio de destruição da contaminação, não são os trabalhadores e sim o governo.

Mas pelas medidas até agora tomadas, não dá pra confiar no governo bolsonarista. Os hospitais superlotados resultarão num colapso da saúde pública e privada, até pessoas com outras doenças não conseguirão ter atendimento e tratamento médico. A pandemia do coronavírus coloca em prova muitas questões como o direito democrático, a produção nacional, a democracia, o sistema econômico e político e claro, o sistema de saúde. Com o colapso social em curso, ficarão todos em casa esperando a morte?

A campanha do ficar em casa reforça uma tentativa da burguesia de controlar as massas de reivindicarem os direitos fundamentais para a sobrevivência do povo que na situação dada só tem uma saída, lutar nas ruas.

Ficar em casa é esperar por medidas satisfatórias do governo Bolsonaro diante a crise. É esperar que esse capitalismo decadente, que já mostrou que não pode resolver as necessidades do povo, resolva o problema. Ficar em casa, para as pessoas que precisam trabalhar para viver, é o mesmo que parar para esperar a morte.

Abaixo publico um vídeo de denúncia da verdadeira situação dos trabalhadores diante o descaso criminoso do governo:

 

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas