Saiu a notícia, nessa última semana,  de que uma agência internacional importante rebaixou a nota do Brasil para investimentos. Para a agência de riscos Standard & Poor’s esse rebaixamento é resultado da falta efetiva das reformas neoliberais que o governo golpista deveria promover.

Querem indicar, na verdade, é que o governo golpista está colocado em um impasse e ao mesmo tempo pressionando para que o governo avance. Isto é, assinalam a crise que o golpe atravessa e aponta um esclarecimento sobre a importância do fenômeno Lula nas próximas eleições.

Quer dizer, com o PT e Lula será muito difícil que o governo golpista consiga estabilizar a economia. A única possibilidade deste plano ser efetivado é retirar o PT, Lula e, portanto, o conjunto das organizações do movimento operário e popular da cena política.

Essas notícias revelam as contradições profundas do golpe e a superficialidade da análise de que a próxima eleição é apenas uma eleição, que outro candidato possa substituir Lula, entre outros.

O mercado financeiro está numa situação de grande tensão em relação ao que acontece no Brasil, não é simplesmente com as reformas, mas todo o conjunto da situação. O país é um grande receptáculo de capital internacional, historicamente o Brasil foi um dos países que mais recebeu investimento de capital estrangeiro justamente por que é um país bastante industrializado ao mesmo tempo que possui grandes reservas de diversas matérias primas, somado a infraestrutura suficiente para projetos internacionais.

O Brasil é um destino importante do dinheiro que circula o globo buscando oportunidades especulativas. Portanto, se a economia brasileira não se estabiliza logicamente que essa situação tende a levar a uma crise generalizada em toda a América Latina e em outros países.

Decorre daí a importância da partida política que se joga no Brasil. O PT e as eleições não são apenas um problema político interno. Os capitalistas internacionais têm interesses diretos em cada detalhe do que ocorre na situação política brasileira e logicamente que como o capital é uma força que se apoia no Estado, os Estados imperialistas têm interesse direto no que ocorre no Brasil e isso se nota de maneira intensa nos últimos tempos.

E é sob esse ângulo que se deve avaliar as possibilidades de evolução da situação: Lula preso pelos golpistas, impedido de participar das eleições, golpe militar, etc, tudo está conectado com esse jogo de interesses, e a instabilidade política no Brasil é um elemento essencial para a instabilidade política de todo o continente americano.

Relacionadas