Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit

Com o aprofundamento do golpe de estado no país, é de suma importância olhar-se para todos os fenômenos com cautela. Esta semana, mais especificamente na quarta feira, 21, ocorreu um retrocesso que não era visto, nessa extensão, desde o governo tucano de Fernando Henrique Cardoso: um apagão que acometeu 13 estados das regiões Norte e Nordeste do país. Retrocesso que aconteceu em menos de dois anos de um governo regido pela direita golpista.

É importante salientar que os blecautes eram comuns no governo FHC e tal acontecimento ocorrer neste período de intenso desgoverno da direita, em suas amplas medidas de privatizações, não é coincidência. O Bipolo de Xingu, onde ocorreu o problema, é um aparelho que foi planejado e montado pela equipe chinesa da State Grid, que é uma grande interessada na privatização da Eletrobras. Pode-se, inclusive, olhar para o fenômeno com viés proposital. Ou seja, uma política suja da direita, para justificar o ato de tornar privada a estatal.

Segundo o Conselho Nacional de Eletricitários (CNE), em nota, é de suma importância “montar um grupo de técnicos para analisar, em paralelo, as causas da ocorrência e do blecaute, assim como sobre as responsabilidades relacionadas, visto que a ocorrência poderá servir para nortear as decisões sobre o processo de privatização do grupo Eletrobras”.

O interesse da burguesia em privatizar importantes grupos como a Eletrobras é claro: deixar a população presa a um sistema precário de transmissão de energia para garantir seus próprios lucros. Com aparelhos mal planejados e operados, tornando os apagões frequentes. Outro determinante para privatização envolve os custos. Tornando a estatal um órgão privado, consequentemente irá haver o aumento nos custos do serviço de energia para população.

Um exemplo bastante claro são as companhias telefônicas. Após sua privatização, a qualidade de atendimento ao povo a telefonia se tornou ruim, cara e sem perspectivas de avanços no que se refere a qualidade de serviço prestado à população. O mesmo acontecerá com a Eletrobras se cair nas mãos da iniciativa privada.

Tal apagão foi apenas o começo de uma série de problemas que a companhia apresentará se for privatizada. É de extrema importância que a luta contra o golpe seja intensa, para que tais medidas não ocorram como espera o governo da direita. É preciso lutar contra as privatizações, que geram aumento nos preços para a população, além de serviços deficientes. A infraestrutura do Brasil, com a atuação dos governos neoliberais tornará se precária, como já está sendo visto. Essa é a política imperialista para os países atrasados: tornar a burguesia cada vez mais poderosa e o operário cada vez mais perseguido e explorado, deixando-o de mãos atadas na escuridão. Literalmente, em todos os aspectos.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Relacionadas