SC: privatizações geram desperdício e descaso com a Saúde em Florianópolis

a

Da redação – O prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro (PMDB), assumiu em 2017 com a clara função de privatizar o atendimento municipal a saúde e educação. A estratégia tem sido colocar cada vez mais setores sob administração de “organizações sociais”, um nome novo para as já conhecidas “parcerias público-privadas”, que vêm se revelando mais ineficientes do que quando eram inteiramente administradas pelo Município.

O mais recente dos crimes patrocinados por essa política neoliberal foi a perda – por armazenamento inadequado – de medicamentos da Prefeitura, calculados em R$ 300 mil, o que inclui todo estoque de insulina. O almoxarifado foi terceirizado há 5 meses para a empresa Primelog. A área foi interditada pela Vigilância Sanitária. Como o contrato foi feito às pressas, a Primelog não tinha licença da Anvisa e sequer alvará de funcionamento para o almoxarifado. A denúncia foi feita pelo SINTRASEM.

Com maioria direitista na Câmara de Vereadores, e um governo estadual bolsonarista, a política neoliberal continuará. Quem sofre com a ganância e descaso dos capitalistas e seus capachos na administração pública é o povo. Milhares de pessoas dependem do medicamento recebido pelo Município, todos os meses, e estão sendo prejudicadas pela gestão neoliberal do prefeito peemedebista.