SC: assassinos do Bope viram réus por homicídio

Captura de Tela 2018-11-06 às 20.53.09

Três policiais militares do Batalhão de Operações Especiais (Bope) de Santa Catarina tornaram-se réus pelo assassinato de José Manoel Pereira, morto com um tiro de fuzil na nuca em novembro de 2017. O Major Rafael Vicente, o Tenente Pedro Paulo Romandini Britto e o Cabo Carlos Eduardo Bedushi tem até 10 dias da intimação para responder as acusações.

Mais um ato de violência atroz da Polícia contra a população, José Manoel foi metralhado em seu veículo, no qual havia mais três pessoas que ficaram feridas por tiros de Fuzis calibre 556, apenas por ser “confundido” com assaltante de banco.

O caso ocorreu na cidade de Balneário Piçarras. Segundo informações da própria Polícia, enquanto policiais trocavam tiros com supostas assaltantes de bancos, três destes supostos assaltantes foram assassinados, José Manoel que apenas passava pelo local, ao deparar-se com os tiros voltou ao seu automóvel para fugir do tiroteio, os policiais citados se aproximaram e sem perguntar nada simplesmente mergulharam o carro, sem saber quem estava lá dentro.

Esse ato bárbaro e covarde, que é padrão nas forças policiais, mostra uma vez mais a necessidade da extinção das forças de repressão, assassinas do povo pobre e trabalhador.