PDT contra o povo
Prefeito de Ciro Gomes em Fortaleza (CE) anuncia ataque aos servidores com a destruição da previdência e a juventude e suas famílias com retorno das aulas na pandemia
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
sarto
Cerimônia de posse do mandato de Sarto Nogueira (PDT) à prefeito de Fortaleza (CE) | Reprodução

O prefeito da capital do estado do Ceará, Sarto Nogueira (PDT), anunciou na cerimônia de posse do mandato que a “reforma” da previdência é prioridade e que as aulas presenciais serão retomadas. O candidato de Ciro Gomes, que teve apoio Boulos e PSOL, em seu primeiro dia de governo na cidade de Fortaleza, defendeu a retomada da economia às custas de um duro ataque aos direitos dos servidores do município e da vida da população em meio a pandemia da COVID-19.

O pronunciamento de Sarto deixa transparente o caráter da política da frente ampla, estes setores como PDT e PSB, que demagogicamente se apresentam como esquerda, tem como objetivo atender os interesses da burguesia. Élcio Batista (PSB), vice-prefeito, disse que o prefeito anterior, Roberto Cláudio (PDT), iniciou as discussões sobre as reformas, mas que foram interrompidas devido a paralisação dos policiais militares do ano passado.

A “reforma” da previdência dos servidores municipais é um ataque contra as condições de vida de milhares trabalhadores e suas famílias. A esquerda burguesa demonstra de forma acabada que sua política não difere em nada da política da direita, a conta da crise econômica gerada pelos capitalistas recai sempre sobre os trabalhadores. É preciso denunciar essa política criminosa e organizar os servidores contra este brutal ataque, bem como a reforma administrativa.

O retorno das aulas presenciais, no momento em que os números de contágio do coronavírus dispara e que as mortes superam 1.000 pessoas por dias consecutivos no país, revela que não somente não há diferença entre a extrema-direita de Bolsonaro e a direita “científica” como também não há diferença com estes setores da esquerda burguesa. É um crime colocar a juventude nas escolas e universidades para se infectarem com coronavírus e condenar suas famílias. A população e profissionais da educação não podem permitir essa política genocida.

A política do PDT e PSB é um exemplo da política do mal menor, a política de conciliação tão criticada pelo PSOL e apoiada por Guilherme Boulos. O candidato de Ciro Gomes, que também teve apoio do governador do PT Camilo Santana, aplica uma política totalmente direitista. Esse é o retrato da política de frente ampla, uma política sem princípios e a reboque da burguesia. A esquerda e os trabalhadores devem se organizar de maneira independente contra ataques à previdência, contra política genocida, pelo Fora Bolsonaro e Lula Presidente.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas