São Paulo é responsável por 37% dos acidentes e doenças do trabalho

FILE PHOTO - General view of Brazilian meatpacker JBS SA in the city of Lapa

A Fundação Jorge Duprat Figueiredo (Fundacentro), em matéria de 03 de maio de 2019 relata que de acordo com dados do Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho, órgão do Ministério Público do Trabalho (MPT) de 2012 a 2018, o Brasil registrou 16.455 mortes e 4.5 milhões acidentes.

Resta salientar que esses números são subestimados, uma vez que há um montante de acidentes, doenças e mortes que não constam dos registros dos órgãos, como o Instituto Nacional de Seguro social (INSS), ou seja, as chamadas subnotificações.

São Paulo, onde se encontra o maior polo industrial, bem como, comercial do país, representa 37% do total dos dados acima elencados.

Os frigoríficos, setor industrial que corresponde a cerca de 5000 fábricas em todo o país, 800 mil trabalhadores são um dos principais responsáveis por tamanha tragédia, inclusive em várias cidades do estado de São Paulo e em outros estados, tendo inclusive o título de primeiro lugar em relação aos acidentes, doenças e mortes.

Não raro se tem informações de acidentes com mortes, com as que ocorreram em Limeira, frigorífico do grupo JBS/Friboi, ou de índices de doenças e/ou acidentes do trabalho, onde se atinge quase todo o contingente dos funcionários. É o caso do frigorífico Seara de Amparo, município do estado de São Paulo, também do grupo JBS/Friboi (para mencionar apenas alguns), que consegue ter mais de 80% de seus funcionários com alguma enfermidade, oriundas das péssimas condições de trabalho, falta de manutenção, sobrecarga de trabalho, com horário que extrapola a legislação, onde cada trabalhador deve trabalhar apenas oito horas diárias, ou mesmo a imposição dos encarregados, gerentes, etc.

Verdadeiros carrascos dos trabalhadores, com metas impraticáveis e, não poderia deixar de dizer, o departamento de recursos humanos que nunca emite o Comunicado de Acidentes do Trabalho (CAT) para ocultar a enorme quantidade de acidentes ocorridos, todos os dias dentro dos frigoríficos.

Tudo para poder manter cada vez maior o lucro dos patrões.

A permanecer a política fascista do Jair Bolsonaro, presidente ilegítimo, que está extinguindo as Normas Regulamentadoras (NRS), juntamente com a ministra da agricultura, Tereza Cristina, com a retirada da fiscalização dos frigoríficos, abatedouros, bem como, o agronegócio em seu conjunto, deixando tudo ao agrado dos patrões, farão com que esses números apresentados, que já representam uma situação de calamidade pública, pareçam como uma formiga diante de um elefante.