Santander aumenta exploração com a cobrança de metas e trabalho noturno

Protesto-contra-demissões-Santander-5-1024x682

A direção do Banco Santander, sistematicamente, passa por cima dos direitos dos trabalhadores através do aumento do assédio moral na cobrança de atingimento de metas e até obrigando os seus funcionários trabalharem após o expediente.

Os trabalhadores do banco espanhol, Santander,  estão realizando, principalmente, nos grandes centros do país, manifestação contra a política da direção golpista do banco estrangeiro. As manifestação vem acontecendo devido a política dos banqueiros parasitas de liquidar com os direitos e conquistas dos trabalhadores para implantar uma política de terra arrasada contra os funcionários para aumentar ainda mais os seus lucros.

Virou modus operandi da empresa, através dos seus chefetes capachos, enviar mensagens via whatsap (prática essa proibida pela Convenção Coletiva de Trabalho) para os funcionários por cobrança de metas de venda de produtos bancários, para piorar as mensagens além de serem enviadas na parte do dia também estão sendo enviadas durante a noite, uma clara evidência da prática de assédio moral contra a categoria.

Os trabalhadores também denunciam que estão sendo obrigados a trabalharem à noite nas universidade depois do seu horário de trabalho, para a captação de novos  clientes e vendas de produtos. E para piorar, muitas agências estão com períodos do dia sem vigilância já que o  banco não contrata vigilantes para render um outro no horário do almoço.

A cada dia que passa aprofunda-se a política de ataques dos banqueiros aos trabalhadores através de demissões em massa, arrocho salarial, terceirizações, assédio moral, fechamento de agências, etc. Os trabalhadores do Banco Santander, juntamente com toda a categoria bancária, deve organizar, imediatamente, uma verdadeira mobilização para enfrentar os ataques dos banqueiros golpistas e sua política de terra arrasada para os trabalhadores e toda a população.