Santander ameaça de demissão quem não aumenta vendas

protesto-contra-demissoes-santander-5-seeb-chapeco-sc

Os banqueiros golpistas do Santander em Brasília vêm sistematicamente ameaçando os seus funcionários de demissão para que os mesmos aumentem as metas de vendas de produtos da empresa.

Os trabalhadores do banco Santander na Capital Federal, que preferem não se identificar com receio das retaliações, que com certeza aconteceriam, já que as ameaças são constantes no seu local de trabalho, denunciam as práticas de assédio moral como modus operandi da Superintendência Regional de Brasília.

Com o processo de reestruturação em andamento no banco, em que já foram fechadas dezenas de agências e houve demissão em massa, os trabalhadores ficaram sobrecarregados. Agora estão executando os serviços de três funcionários devido à falta de pessoal. Para manter os já fabulosos lucros, os banqueiros aumentaram exponencialmente a pressão sobre os bancários para que os mesmos superem as metas de venda de produtos do banco. O assédio moral está rolando solto através de ameaças de demissão, descomissionamento, etc. Toda essa prática está acontecendo através de reuniões setoriais, que são realizadas quase diariamente, via mensagens no celular e até ligações para a residência dos trabalhadores.

Os trabalhadores ainda reclamam de que, devido às pressões e o acúmulo de serviços, aumentou o número de funcionários afastados para tratamento de saúde, tanto física quanto mental, e que são vários que estão trabalhando sob efeito de medicação controlada.

Os bancários e também os trabalhadores das mais diversas categorias sofrem com a política dos capitalistas e seus governos. Deram um golpe de Estado no país para aumentar a política de ataques à classe trabalhadora. Todas as medidas dos golpistas são de um profundo ataque aos direitos dos trabalhadores e têm como único objetivo fazer os trabalhadores e a população em geral pagarem a conta por uma crise que é própria do capitalismo e ocorre em todo o mundo.