Menu da Rede

As ruas cobertas de vermelho em todo o País

Pelo fim dos Latifúndios!

Salles demite delegado que o denunciou por impedir fiscalização

Salles mostra que segue corretamente o que está previsto nos moldes neoliberais de extração de recursos naturais: tudo pelo lucro dos capitalistas e nada pelo benefício do cidadão

Ricardo Salles segue com maestria os planos capitalistas de entregar os recursos naturais aos latifundiários. – Foto: O globo

Publicidade

Na última quinta-feira, dia 15 deste mês, o delegado da Polícia Federal, Alexandre Saraiva, foi demitido do cargo que ocupava como superintendente da instituição. A ação se deu logo após o servidor alertar o Supremo Tribunal Federal (STF) sobre uma atitude ilícita advinda do então ministro bolsonarista do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e também do senador Telmário Mota, do Pros. 

De acordo com a denúncia, o ministro e o senador cometeram os crimes de advocacia administrativa, organização criminosa e obstrução da fiscalização do poder público às questões ambientais. Para a Polícia Federal, ambos intervinham nas investigações da Operação Handroanthus, iniciada em 2020, a fim de favorecer os suspeitos envolvidos. 

A certeza da impunidade e de que estar acima das instituições já falidas do estado burguês é tão grande que antes mesmo deste delegado, outros servidores já haviam perdido o cargo por apresentar denúncias junto à Operação Handroanthus, a qual, apenas no ano passado, já apreendeu mais de 200m3 de madeira, quantidade equivalente a 130 milhões de reais. Tratam-se dos servidores Olivaldi Alves Borges Azevedo, diretor de proteção ambiental do  Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis – IBAMA,  e seus coordenadores de fiscalização e operações Renê Oliveira e Hugo Loss. 

No dia 09 de abril, o IBAMA apresentou uma denúncia informando a identificação de grilagem de terras indígenas na região Amazônica e que o responsável pelo crime, Jassonio Costa Leite, havia sido multado em 105,5 milhões de reais como pena por ter desmatado uma área equivalente a 21 mil campos de futebol dentro de uma área de reserva indígena localizada no interior do Pará. Costa Leite é um capitalista latifundiário do Tocantins que mantém relação com políticos direitistas em Brasília, além de ser abertamente bolsonarista. Junto a isso, o empresário é apontado como líder de um grupo ilegal formado com a única finalidade de invadir terras de reservas indígenas a fim de loteá-las e vendê-las. Como penalização por denunciar esse caso, poucos dias depois, em 14 de abril, os três servidores do IBAMA foram exonerados.

Casos como o do empresário Costa Leite são recorrentes. Grandes empresários se apropriam de terras reservadas na Amazônia sem nenhum receio de sofrer represálias, pois estão certos que os responsáveis por penalizá-los, na verdade, os apoiam. No mês de março, por exemplo, Ricardo Salles, ministro que deveria preservar o meio ambiente, se deslocou até o território Amazônico para reunir-se com madeireiros que exploram a região e semana passada deste mês de abril, o ministro bolsonarista retornou à Amazônia com o senador Zequinha Marinho do PSC a fim de se reunir com madeireiros ilegais da região. Na prática, o Ministro do Meio Ambiente tem trabalhado com empenho para assegurar a alta efetividade do desmatamento promovido pelos latifúndios na região amazônica. Nota-se, pelos atos do ministro de Bolsonaro, que o sucesso do seu mandato está em dificultar a fiscalização e abrir caminho para “a boiada latifundiária passar” e desmatar completamente as áreas de reservas indígenas e a floresta, como um todo. 

Trabalhando em prol dos lucros de grandes latifúndios exploradores de recursos naturais e contra a preservação do meio ambiente em benefício do povo, Salles mostra que segue corretamente o que está previsto nos moldes neoliberais de extração de recursos naturais. É tudo pelo lucro dos capitalistas e nada pelo benefício do cidadão. Deste modo, através da união popular, cortar o mal pela raiz e eliminar a doença, para além de apenas remediar os sintomas. O causador de todas essas destruições ambientais é Bolsonaro, como representante da burguesia. Bolsonaro selecionou Salles como ministro e, em prol da burguesia, Bolsonaro jamais nomearia um ministro do meio ambiente que promovesse políticas ambientais em prol da classe trabalhadora. Neste sentido, pela preservação do meio ambiente, pelo direito dos povos indígenas e quilombolas às suas terras, levantemos a palavra de ordem: Fora Bolsonaro, Fora Salles, Fora todos os Golpistas.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Cultura

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.