Salas de aula super lotadas: professores e estudantes são as principais vítimas do golpe

05006_foto_2_em_chapadinha_estudantes_lotaram_salas_de_aula_neste_sabado_para_reforcar_aprendizado._ok_7181253204014011473

O Brasil é um dos países com maior números de alunos por sala de aula no ensino médio,  entre os 60 países analisados no estudo Políticas Eficazes para Professores: Compreensões do PISA, feito pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Rodada Internacional de Palestras com Rui Costa Pimenta

De acordo com o documento, as escolas públicas do Brasil têm 37 alunos por sala de aula no primeiro ano do ensino médio. Um número elevado também em relação aluno-professor que é de: 22.  O número de alunos por professor só é maior na Colômbia, que é de 27. Na China, país mais populoso do mundo, há apenas 12 alunos por professor.

Segundo a OCDE, é preciso reduzir o tamanho da sala de aula e aliviar a carga horária de ensino do professor, ampliando dessa forma o tempo que ele passa preparando aulas, em orientação pedagógica (tutoria) ou atividades de desenvolvimento profissional. A solução seria aumentar o número de professores.

No Brasil, problemas de salas de aula lotadas, jornadas duplas de trabalho, com carga horária excessiva, são enfrentados por muitos professores e provocam doenças em relação à profissão.

A gravidade situação de “congelamento” e perdas salariais, atraso nos pagamentos, cortes nos gastos em Educação – como em outros serviços públicos -, fechamento de salas de aulas etc. que se repete em todo o País, coloca a necessidade de uma ampla mobilização, nacional, que unifique educadores, estudantes e todos os setores da comunidade escolar em defesa do ensino público e das reivindicações que unifiquem e permitam uma ampla mobilização, tais como a luta por um piso salarial nacional que – de fato – corresponda às necessidades do professor e de sua família, que hoje não poderia ser de menos de R$ 6 mil com 25 alunos por sala de aula.

Esta luta está diretamente vinculada à luta pela derrota do regime golpista, que está derrubando todas as medidas progressistas adotadas no período anterior. Por isso mesmo, os trabalhadores da Educação e suas organizações de luta precisam participar ativamente das mobilizações, contra a condenação e a prisão do ex-presidente Lula, contra a direita golpista que dar mais um passo no sentido de aprofundar o golpe e impor novas e maiores derrotas aos trabalhadores.