Siga o DCO nas redes sociais

Greve geral da educação
Sair às ruas hoje contra o Future-se e pelo “fora Bolsonaro”
Nos dias 2 e 3: impulsionar a luta pelo Fora Bolsonaro e pela Liberdade de Lula
forabolsonazi-1
Greve geral da educação
Sair às ruas hoje contra o Future-se e pelo “fora Bolsonaro”
Nos dias 2 e 3: impulsionar a luta pelo Fora Bolsonaro e pela Liberdade de Lula
Manifestação pelo fora Bolsonaro.
forabolsonazi-1
Manifestação pelo fora Bolsonaro.

Nestes dias 2 e 3 de outubro estão sendo convocados atos contra o desmonte das universidades públicas e contra o próprio governo Bolsonaro em todo o país. As mobilizações foram convocadas pelas organizações estudantis, como a União Nacional dos Estudantes, a UNE, e de professores, como a Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação, a CNTE e o ANDES.

Um dos pontos centrais do ato é a luta contra o chamado projeto “Future-se”. O projeto anunciado pelo ministro golpista da educação, Abraham Weintraub, abre caminho para a privatização do ensino superior, uma das principais metas do golpe de estado. Além do corte de 30% das verbas destinadas à educação, do corte de milhares de bolsas, do fim dos programas de pesquisa, o atual governo golpista e ilegítimo quer entregar as universidades públicas para iniciativa privada, transformando o ensino superior em um privilégio ainda maior, restrito somente para uma minoria burguesa, excluindo de vez a juventude pobre do ensino superior.

O Future-se permite que as universidades sejam administradas por empresas privadas, estas poderão inclusive intervir na autonomia universitária, nomear campus e decidir sobre a administração da verba das universidades. Um ataque sem precedentes, visto que várias universidades em todo o país estão completamente paralisadas devido à falta de recursos básicos para o ensino.

Demonstrando a profunda rejeição aos ataques do governo e tendência de mobilização contra os golpistas, o projeto já foi rejeitado em 29 universidades federais em todo país. A proposta é parte do pacote da política golpista de impor uma verdadeira terra arrasada ao país, com fim de todos os direitos, como a aposentadoria, as privatizações das empresas públicas, o fim dos direitos trabalhistas, a destruição da indústria nacional, etc. Além, claro, da implacável perseguição política as organizações sindicais, movimentos sociais e suas principais lideranças, como é o caso do ex-presidente Lula.

Neste sentido, os dias 2 e 3 de outubro devem servir para impulsionar a luta de conjunto contra o governo golpista em todo o país. É preciso aproveitar a crise da direita golpista, do próprio governo Bolsonaro, e aprofundar a luta pela sua derrubada e de todo o regime golpista. Sair às ruas e levantar a palavra de ordem de Fora Bolsonaro e Liberdade para Lula!