Sabotagem contra a população: Bruno Covas cria dificuldades que vão aumentar a espera por exames nos hospitais

Doria anuncia mudanças estruturais na organização administrativa

Para concorrer às eleições deste ano como candidato a governador de São Paulo, o empresário fascista João Doria teve de se afastar do cargo de prefeito da capital paulista. No entanto, ao que parece, o afastamento do “palhaço assassino” não gerou nenhum benefício para a cidade – em seu lugar, ficou o também tucano Bruno Covas.

Nessa semana, Bruno Covas criou um novo Protocolo de Acesso para que médicos e demais profissionais da saúde solicitem exames. Com isso, apenas quatro tipos de exame poderão ser pedidos por qualquer médico: mamografia bilateral para rastreamento, ultrassonografia de abdome superior e total, ultrassonografia obstétrica e ultrassonografia obstétrica morfológica (ambos exames gestacionais). Os outros 41 exames só poderão ser pedidos por médicos especialistas.

Embora seja mais um ataque, o novo protocolo de Bruno Covas é típico dos governos do PSDB. A sabotagem contra a população é uma constante dos 20 anos que o PSDB administra o Estado de São Paulo. Com o golpe de Estado e o boicote à candidatura à reeleição de Fernando Haddad como prefeito da capital, a sabotagem se intensificou ainda mais.

É necessário combater intensamente esse ataque dos golpistas e qualquer outra manifestação do golpe de Estado que venha a acontecer. Para isso, é preciso fortalecer os comitês de luta contra o golpe, organizando os trabalhadores para derrubar o governo golpista por meio de uma mobilização revolucionária.