Rússia sai na frente
A produção da vacina Sputnik V começou hoje, em meio a uma gigantesca campanha negativa do imperialismo
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
vacina russia GRANDE
Embalagem da nova vacina russa | Foto: Sputnik/Ministério da Saúde russo

O governo russo anunciou neste sábado (15) que irá começar a produção da sua vacina contra Covid-19. O comunicado do governo afirmava que “a produção de uma vacina contra nova infecção por coronavírus, Covid-19, desenvolvida pelo Centro de Pesquisa Gamaleya do Ministério da Saúde da Rússia, já começou”. 

A vacina foi apelidada pelos russos de Sputnik V, em alusão ao programa que produziu a primeira série de satélites artificiais soviéticos e que foram, na prática, os primeiros corpos artificiais lançados pela humanidade ao espaço. 

O nome oficial da fórmula é “Gam-COVID-Vak” e ela foi desenvolvida pelo Centro Nacional de Pesquisa Gamaleya, localizado em Moscou. Ela possui dois componentes que precisam ser aplicados com um intervalo de três semanas para desencadear uma resposta do sistema imunológico ao Covid-19. O diretor do fundo de riqueza soberana da Rússia, que financiou o projeto, Kirill Dmitriev, destacou que Moscou recebeu pedidos de mais de um bilhão de doses da vacina de 20 países.

No Brasil, alguns estados também já fizeram pedidos da nova vacina russa. Os estados do Nordeste, por meio do “Consórcio Nordeste” já estão em contato com o governo russo para um possível acordo sobre o uso da vacina. Além deles, o estado do Paraná assinou um acordo de parceria com o governo russo no desenvolvimento da vacina. A previsão é que a fase três de testes da vacina ocorra no estado.

No entanto, existe uma gigantesca propaganda partindo da imprensa capitalista contra a vacina produzida na Rússia. Algumas publicações científicas financiadas pelo imperialismo afirmam, sem nenhuma base, que se sabe muito pouco sobre a vacina e que ela vem sendo questionada por imperialistas internacionais, todos cooptados pelo imperialismo.

Parte da campanha é criticar o governo russo por ter realizado a fase um do teste e não ter divulgado para o mundo, o que não é obrigação nenhuma dos russos fazer. Um dos principais órgãos que procuram dificultar o desenvolvimento da vacina russa é a própria Organização Mundial de Saúde (OMS), que afirma temer pela falta de segurança da vacina.

É preciso dizer, primeiramente, que o fato da Rússia, um país atrasado, ter desenvolvido a vacina antes das potências imperialistas, é prova da crise em que se encontra o imperialismo mundial. Isso é confirmado também se olharmos para os números de infectados e mortos no principal país imperialista do mundo, os Estados Unidos da América, que lideram mundialmente o desastre causado pela crise sanitária.

Além disso, é preciso denunciar toda a campanha mentirosa feita contra a vacina desenvolvida pelos russos, porque essa prova a falência do imperialismo e, consequentemente, do capitalismo. Organizações como a OMS e as publicações ditas científicas do imperialismo querem difamar a fórmula para impedir que o mundo inteiro venha a aderir à vacina russa e deixe a produção do imperialismo para trás.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas