Imperialismo
Documento quer investigação sobre a morte de civis e outros crimes por tropas australianas no exterior.

Por: Redação do Diário Causa Operária

O imperialismo é um monstro de vários tentáculos, com vários capachos em todo o mundo, não apenas no Brasil, e um bom exemplo é o governo da Austrália, como foi denunciado conjuntamente ao Conselho de Direitos Humanos da Onu, que é pouco confiável, mas mostra o tamanho da crise, em que um documento assinado por vários países, incluindo Rússia, China, Egito e Venezuela em que condenaram os assassinatos e abusos ilegais de civis cometidos por militares australianos no exterior.

Isto é especialmente observado no documento no trecho em que os signatários expressam profunda preocupação em relação aos centros de detenção offshore em outros países – locais do país sem quaisquer condições médicas adequadas em que um grande número de imigrantes, refugiados e requerentes de asilo foram detidos durante um longo período de tempo, alguns indefinidamente, e os seus direitos humanos foram violados.

Não é necessário explicar porque é um absurdo esses verdadeiros campos de concentração modernos, ainda mais neste período de contágio e pandemia, manter essas gaiolas humanas é um genocídio , coisa de filme de terror.

Colocando suas tropas a serviço de esmagar as populações oprimidas, o governo australiano é denunciado por graves violações dos direitos humanos, muitos acontecimentos dos quais a própria ONU sabe e se cala, porque ela mesmo não deixa de ser um desses tentaculos do imperialismo, e portanto, para ela são apenas meros crimes de guerra.

A direita sempre tratou de perseguir esses refugiados, especialmente os governos de extrema-direita. Enquanto isso, países perseguidos pelo imperialismo, como a China e a Rússia instaram a Austrália a fechar imediatamente todos os centros de detenção offshore e a tomar medidas concretas para salvaguardar os direitos de grupos de imigrantes vulneráveis, especialmente crianças.

Outras preocupações do documento entregue são com o fenômeno crescente de discriminação racial na Austrália, o aumento da violência contra as mulheres e os direitos desprotegidos dos povos indígenas no país, conclamando o país a proteger efetivamente os direitos humanos.

Finalmente, não custa lembrar de que recentemente um militar que denunciava os crimes da Austrália foi assassinado, um oficial de inteligência foi encontrado morto no complexo de Russell, na capital australiana, Camberra, no parque de estacionamento da base militar em dezembro do ano passado. De acordo com a fonte do Daily Mail, o militar teria consigo informações sobre a conduta desumana das tropas australianas no Afeganistão

Mais uma vítima dos que comportam como lacaios do imperialismo numa luta de dominação do Oriente Médio, principalmente por que ele quer manter desunidos e apartados todos os países e esforços que busquem o fortalecimento a união e possibilite o domínio do mercado do petróleo, o que acabaria por impor uma política contrária aos interesses dos grandes capitalistas.

Send this to a friend